Ministro da Cultura destaca importância e o Registro do Complexo do Boi-Bumbá

Música

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, destacou que concentrará esforços para concluir este ano o processo de Registro do Complexo Cultural do Boi-Bumbá do Médio Amazonas e Parintins. A declaração foi feita durante a 53ª edição do Festival Folclórico de Parintins, que acontece no Centro Cultural Amazonino Mendes (Bumbódromo), na cidade de Parintins.

Iniciado em 2009, o Registro da Cultura do Boi-Bumbá como Patrimônio Cultural do Brasil teve algumas interrupções. O Complexo Cultural do Boi-Bumbá do Médio Amazonas e Parintins inclui o boi de terreiro, o boi de rua e o boi de palco/arena, que tem nos bois Caprichoso e Garantido de Parintins seus maiores exemplos. O que diferencia cada boi é a sua estrutura narrativa.

Na avaliação do ministro Sérgio Sá Leitão, que acompanhou os dois dias de apresentações dos bois no Bumbódro em Parintins, o boi-bumbá é uma das principais manifestações culturais do País. “Em Parintins, é muito importante que o espetáculo tenha ganhado essa dimensão. O festival, com toda sua potência, é um espetáculo não apenas para os que estão diretamente envolvidos, mas para a Amazônia, com impacto em todo o País”, afirmou.

Processo de Registro

Para continuar com o processo de Registro, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estabeleceu um Termo de Execução Descentralizada (TED) com a Universidade de Brasília, que produzirá o Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC), para fins de identificação dos bens culturais que compõem o complexo. Após a conclusão do inventário, o parecer será analisado pelo Conselho Consultivo do Iphan.

O inventário é necessário para que se possa identificar quais são os principais problemas que as pessoas enfrentam para manter viva uma manifestação cultural e o que pode ser feito para que um determinado bem cultural não deixe de existir. Ou seja, o primeiro passo é conhecer o bem para preservá-lo. Além disso, o inventário propõe soluções para a salvaguarda das manifestações culturais.

Um dos principais apelos para o registro do boi-bumbá é o enraizamento desse bem cultural nas comunidades nas quais ele está inserido. O processo coletivo de produção das festas também é outro critério que é levado em consideração durante a análise.

Essa análise do Registro do Complexo Cultural dos Bois-Bumbás inclui os municípios de Parintins, Manaus, Itacoatiara e Maués. Relevância nacional para a memória, a identidade e a formação da identidade dos grupos sociais ao qual pertencem estão inclusos como critérios para o estudo do registro.

A última etapa do processo foi finalizada em maio de 2018 e o dossiê de Registro e o vídeo documentário apresentados pela contratada encontram-se em análise pelo Iphan. Os próximos passos são a construção do Parecer Técnico que analisa o processo, bem como demais encaminhamentos descritos na Resolução Iphan 01/2006, que estabelece os critérios que permitem que o processo seja levado à reunião do Conselho Consultivo (a ser realizada em novembro deste ano).

Festival de Parintins

Nos dois dias de apresentações, o boi-bumbá Caprichoso, com seu azul e branco, e, o boi Garantido, caracterizado pelas cores vermelho e branco, encantaram o público com suas alegorias e toadas que revivem a lenda de Catirina e Pai Francisco, o cotidiano do caboclo ribeirinho e outros mitos amazônicos.

Uma comissão composta por 10 jurados define o boi vencedor de 2018. A apuração da avaliação dos 21 itens avaliados pelo corpo de jurados na apresentação de cada um dos bois, será realizada nesta segunda-feira (2), às 14h. O corpo de jurados analisa, entre os critérios, o desempenho do apresentador, da torcida, do levantador de toadas, da marujada e do batuque, ritual indígena e porta-estandarte.

Fonte – MinC

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta