Ministro Sérgio Sá Leitão conhece trabalho dos alunos do Liceu de Artes e Ofícios de Parintins

Música

Música, ballet, dança, teatro e artes visuais, como fotografia e desenho, integram o dia a dia dos alunos, jovens e adultos, que estudam no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro, visitado pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, na tarde de sábado (30), em Parintins, no estado do Amazonas.

Durante a visita, o ministro assistiu a apresentações dos alunos da Banda Musical, Percussão para surdos e participação do Canto Coral Daniel Santarém, do Núcleo de Música Popular. O espetáculo preparado pelos alunos contou ainda com performances “Conexões de Identidades” com os alunos dos cursos de dança para crianças, laboratório corporal e danças urbanas. O encerramento teve a participação de todos os alunos que se apresentaram em um número de dança e música popular.

Emocionado, o ministro classificou as apresentações como uma apoteose de arte elevada à sua máxima potência. “Muito obrigado por terem compartilhado conosco a arte que vocês aprendem e praticam todos os dias. Parabéns aos professores, à direção do Liceu e a todos os que dedicam seu tempo e sua disposição à arte. A expressão artística é, sobretudo em tempos de crise, caminho de superação. Desejo sucesso a todos os alunos em tudo o que vocês vierem a fazer. Acreditem em vocês, no talento, e com muita dedicação e perseverança será possível alcançar o sonho de vocês. O futuro de cada um de nós está em nossas mãos”, elogiou.

Papel transformador da arte

Para a diretora do Liceu, Andressa Oliveira, a transformação das vidas de cada um dos alunos é o fator de maior recompensa para o trabalho que já é realizado há cinco anos. “Saber que pessoas, inicialmente sem perspectivas, têm suas vidas modificadas pela arte é muito gratificante. O Liceu veio para ser um divisor de águas na cidade de Parintins, que produz grandes talentos”, afirmou.

Andressa destacou que, hoje, existem 14 alunos da Universidade Federal do Amazonas estudando artes visuais, dois alunos estudando teatro e um no curso de dança da Universidade do Estado do Amazonas. “Esses resultados acabam gerando uma cobrança dos próprios alunos para que esses cursos superiores em artes sejam ministrados também em Parintins, porque nem todos têm condições de sair do município para se manter numa capital”, afirma.

Liceu de Artes

O Liceu foi fundado em setembro de 2013, sendo a primeira unidade do interior do estado. O projeto, inicialmente, conta com 1500 vagas. Atualmente, são oferecidas mais de 2300 vagas para 21 cursos livres e regulares, distribuídos em cinco núcleos: teatro, dança, música popular, artes visuais e audiovisual. A escola funciona na estrutura do Bumbódromo, onde acontece o Festival Folclórico de Parintins. No mês de maio, a escola é desmontada porque as salas de aula funcionam na estrutura dos camarotes e as atividades são retomadas somente em agosto. Os grupos mais avançados continuam as atividades durante o período do festival.

Todos os anos, os bois Garantido e Caprichoso chamam os alunos para integrar as apresentações na arena. No segundo dia dos desfiles, o coral em libras participa no Caprichoso. “Também teremos um grupo de dança da melhor idade na arena. É a primeira vez de um grupo da melhor idade na arena. A equipe de Manaus faz acompanhamento pedagógico de todos os alunos”, diz Andressa.

Mantido pelo Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura, o Liceu de Parintins funciona como um polo para receber também a população dos municípios de Nhamundá, Maués, Boa Vista do Ramos e Barreirinha. O Liceu oferece aos moradores de Parintins e regiões próximas serviços como biblioteca, galerias de artes, memoriais Caprichoso e Garantido, salas multimídias com cds e dvds, cineclube, arena para espetáculos e esculturas localizadas na área externa, que atende um média de 7 mil pessoas por mês.

 

Fonte – MinC

Foto – Divulgação

3 comments

Deixe uma resposta