Ufam realiza encontro com música, manifestações étnicas e interdisciplinaridade

Música

A Faculdade de Artes promove até sexta-feira, 24, o III Encontro Regional Norte de Etnomusicologia, debatendo o tema “Redes e Colaborações da Amazônia”. A palestra de abertura foi conduzida pela doutora em Antropologia Social, professora Suzel Ana Reily. O evento foi realizado no auditório Rio Solimões, do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais.

A etnomusicologia é o ramo da música que estuda as manifestações musicais de sociedades e raças específicas. Promovido pela Ufam em parceria com a Associação Brasileira de Etnomusicologia (Abet), o evento da Faartes terá também minicursos apresentando a musicalidade da Amazônia, como música indígena e percussões amazônicas.

Na abertura do III Encontro Regional Norte de Etnomusicologia, o reitor da Ufam, professor Sylvio Puga, parabenizou a Faculdade pela iniciativa e assegurou o seu apoio, como gestor maior da Universidade, às faculdades recém-criadas, sendo a Faartes uma delas, com pouco mais de um ano de existência, após processo de reestruturação do Instituto de Ciências Humanas e Letras, ocorrido em reunião do Conselho Universitário em 23 de fevereiro de 2017. “Todas às vezes que há uma demanda da Faartes para apoiarmos eventos e outras tratativas, nós dedicamos todo o apoio necessário para que aconteça e, é claro, fortaleça a nossa Faculdade de Artes seja na graduação e depois também na pós-graduação. Aqui, na Amazônia, nós temos pessoas comprometidas com a nossa causa, com a arte local e mundial”, discursou o gestor.

De acordo com a coordenadora do encontro, professora Rosemara Staub, o evento tem o objetivo de consolidar a pesquisa em etnomusicologia na região. As duas edições anteriores ocorrem no Pará, sendo esta a primeira vez em que é realizado no Amazonas. “Como tentamos sempre trabalhar a ideia de rede de colaboração, trouxemos para Manaus. A ideia é que a etnomusicologia seja discutida nesse encontro numa perspectiva de colaboração e de rede, mas também de maneira interdisciplinar. Então, veremos como está a pesquisa na área aqui na Amazônia, que tipo de interdisciplinaridade é possível e outros campos que possamos agregar”, informa a professora.

Palestra de Abertura – “Redes e Colaborações da Amazônia”

Em sua primeira visita ao Amazonas, a professora Suzel Ana Reily abordou a temática “Redes e Colaborações da Amazônia” partindo do trabalho de Howard Becker, no qual apresenta a ideia de mundos artísticos, ressaltando a ligação da música ao contexto social.

Reily, que também é presidente da Abet, citou o caso da cidade de Campanha, em Minas Gerais, para ilustrar a presença da música para aquela sociedade, em especial, o significado que ela tem durante a Semana Santa, quando são realizadas várias manifestações artísticas em relação à temática religiosa. “A Semana Santa Campanhense pode ser compreendida como um grande drama coletivo, com uma série de celebrações, cheias de rituais, cuja intensificação ao longo da semana vai promovendo uma experiência barroca através do impacto sensorial que provoca”, declarou.

Programação

Além dos minicursos já citados, a programação do III Encontro Regional Norte de Etnomusicologia inclui a apresentação de comunicações orais e pôsteres durante a tarde e o minicurso sobre música e gênero.

À noite, estão previstas a realização de mesas temáticas discutindo os temas: “Mestres e Academia”, “Interdisciplinaridade na Etnomusicologia” e a “Etnomusicologia na Amazônia”. Por fim, as atividades encerram nas três noites com apresentações musicais e rodas de conversa.

Fonte – Ufam

Foto – Divulgação