Amazonas ganha Fórum de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas

Notícias

Na próxima quarta-feira (16), às 14h, acontece, no auditório da Superintendência Federal de Agricultura no Amazonas (SFA-AM), o Fórum Amazonense de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas, durante o qual será formado um Comitê Gestor do Fórum, composto por membros, um coordenador e um secretário-executivo que serão eleitos na ocasião para a gestão de 2018 a 2019. Também será elaborado o Regimento Interno, assim como as instituições públicas e privadas que irão compor o Fórum.

A SFA-AM localizado na R. Maceió, n° 460, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus.

No Estado, o Fórum terá o objetivo de promover estratégias para agregar valor aos produtos tradicionais do Amazonas e, ainda, acessar novos mercados para os produtos com certificação. Além disso, pretende incentivar os produtores rurais a buscarem o fortalecimento das Indicações Geográficas (IG) e Marcas Coletivas (MCs) e de desenvolver novos métodos de mostrar aos consumidores a importância dos selos de origem dos produtos.

Atualmente o Amazonas possui duas Indicações Geográficas na modalidade de Procedência registradas no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI): o guaraná de Maués e dos peixes ornamentais do Alto Rio Negro; e três processos em fase de análise: da farinha de mandioca da Região de Uarini; abacaxi da Região de Novo Remanso; e de Denominação de Origem para o guaraná da terra indígena Andirá-Marau, de Maués. Há ainda, o processo de estruturação iniciado em fevereiro deste ano da Indicação Geográfica do Pirarucu Manejado de Mamirauá, cuja área de abrangência do projeto contempla os municípios de: Jutaí, Alvarães, Maraã, Japurá, Tefé, Tonantins, Uarini, Fonte Boa e Juruá, responsáveis por produzir 88% do pirarucu manejado do Estado.

Além da SFA-AM, o Fórum conta com a parceria de instituições como o Sebrae no Amazonas, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio-Tefé).

O analista técnico do Sebrae no Amazonas, José Antônio Fonseca, explica que o Sebrae tem apoiado os empreendedores no processo de solicitação do selo de origem para os produtos da região junto ao INPI e ainda busca superar os desafios que englobam a atividade produtora dos agricultores.

“O trabalho realizado pelo Sebrae no Amazonas é de extrema importância para o desenvolvimento da economia do Estado. Buscando o Selo de IG e Marcas Coletivas para a proteção do território e valorização desses produtos já reconhecidos pelo mercado consumidor, e contribui para geração de renda dos produtores. O desafio é permitir um ganho adicional aos envolvidos no processo produtivo.” Conta, o analista.

Fonte – Sebrae

Deixe uma resposta