Aumento do preço do milho prejudica setor primário e consumidores amazonenses

Notícias

O deputado Luiz Castro (REDE) manifestou, nesta quarta-feira (7), o seu repúdio ao Governo Federal, que decidiu acabar com o subsídio do milho. Em consequência, o quilo do produto no Amazonas, passou de R$ 0,55 kg para R$ 0,91. “É um aumento absurdo, que vai prejudicar os pequenos produtores do Estado, que dependem da ração de milho nas criações de aves, suínos e peixes”, reagiu o parlamentar.

O reajuste, sem um comunicado prévio, segundo Luiz Castro, vai implicar no aumento de produtos como o peixe e o frango, aumentando os custos para o consumidor final, que pagará mais caro pelos alimentos, nas feiras e supermercados.

Luiz Castro cobrou do Governo do Estado uma posição firme contra o aumento e conclamou a bancada amazonense no Congresso Nacional, a se mobilizar junto ao Ministério da Agricultura, para reverter o prejuízo que o reajuste causará ao setor primário do Amazonas.

Com o aumento, a saca de milho de 50 kg vai passar de R$ 27,50 para R$ 45,50, o equivalente a um reajuste de 65%, elevando o custo do frango e dos ovos, itens prioritários na mesa da população amazonense.

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação