Crédito para Microempreendedor Individual aumenta e inadimplência cai

Notícias

O valor concedido aos microempreendedores individuais (MEI) cresceu desde o início de 2017, passando de R$ 1,5 bilhões para R$ 1,7 bilhões ao longo de 2017 – uma alta de 5,4% em relação ao trimestre anterior. Os dados, frutos da parceria entre o Banco Central e o Sebrae, apresentam um conjunto de dados inéditos sobre as condições de crédito para o MEI. A pesquisa ainda aponta que as taxas de inadimplência alcançaram o menor nível da série, chegando a 12,6% no final de 2017. Enquanto as taxas de juros também caíram, atingindo 63% no último trimestre, apesar de permanecerem em um nível elevado.

“Muitos desses empreendedores precisam evoluir na gestão financeira dos seus negócios, muitos ainda se encontram em situação primária – o que mostra que ainda podemos evoluir muito na capacitação, com cursos de educação financeira”, observa Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae.

Quando se analisa a distribuição geográfica das operações de crédito, verifica-se que ela segue a própria distribuição dos microempreendedores individuais pelo país, que estão concentrados nas regiões Sudeste e Sul do país. Em conjunto, essas regiões são responsáveis por mais de 70% do total de operações de crédito e também dos valores emprestados.

A pesquisa utiliza dados de quantidade de operações, valores das concessões de crédito, taxas de juros e taxas de inadimplência detalhados por origem dos recursos, unidade da federação e modalidades de crédito para o Microempreendedor Individual. As informações coletadas pelo Banco Central junto ao Sistema Financeiro Nacional estão disponibilizadas ao público pela equipe do Sebrae Nacional por meio do painel “Panorama Nacional das Condições de Crédito – MEI 2016 – 2017”.

 

Fonte – Sebrae

Deixe uma resposta