Em até três anos cooperativa do Amapá deve instalar fábrica agroindustrial de açaí

Notícias

Após conquistar um entreposto comercial em Macapá e a certificação internacional de manejo florestal de açaí a Associação das Comunidades Tradicionais do Bailique (ACTB) pretende expandir a atuação no mercado. O próximo passo será a certificação da produção do fruto, e, em até três anos, instalar uma fábrica agroindustrial no Amapá.

A cooperativa vai exportar o açaí certificado para o restante do país e para o mundo, iniciando pela polpa e também os subprodutos inéditos oriundos do caroço do fruto.

“A cooperativa tem uma estufa artesanal para a secagem do caroço, vamos armazenar num local e, depois que estiver seco, torrar e fazer outros produtos”, destacou Geová Alves, presidente da ACTB.

Os novos produtos são, soluções para um antigo problema na produção de açaí: a destinação dos caroços do fruto. Para alguns cooperados, esse material vira adubo, mas para a maioria, não passa de lixo.

A ACTB recebeu, em dezembro de 2016, do Conselho de Manejo Florestal (FSC – Forest Stewardship Council), o certificado de manejo da floresta que incentiva a regularização fundiária, e ainda equipamentos de segurança e proteção individual ao trabalhador garantindo assim a melhor atuação florestal.

O selo foi concedido porque o açaí do

A cooperativa de Bailique recebeu o selo porque o açai, corresponde às características exigidas pelo Conselho de Manejo Florestal, atendendo todos os padrões do FSC, e levando benefícios sociais e viabilidade econômica aos cooperados. Este é o selo mais conhecido do mundo no segmento.

Fonte – Redação Coopnews – com informações do G1/Amapá

Foto – Divulgação