No oeste do Pará feira impulsiona agricultura familiar

Notícias

Produtores rurais que trabalham com agricultura familiar participaram na sexta-feira (20) da abertura da II Feira da Agrobiodiversidade e Segurança Alimentar do Oeste do Pará, promovida pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com apoio de diversos parceiros. O evento visa valorizar a agricultura familiar na região, e foi planejado de acordo com o tema e o lema deste ano da Campanha da Fraternidade, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O evento reúne 50 agricultores, de diferentes comunidades rurais e bairros da área urbana, que trabalham diretamente com a produção de alimentos consumidos pela população e comercializados em feiras e mercados da cidade.

Além de fortalecer ainda mais a agrobiodiversidade genética do Bioma Amazônico, em benefício da segurança alimentar das populações da região oeste, o evento promove o intercâmbio entre os guardiões de sementes crioulas, sementes tradicionais, não modificadas geneticamente – cultivadas, mantidas e selecionadas por gerações de agricultores familiares, que formam a base alimentar de muitas comunidades rurais e servem, também, à população das cidades.

Para aumentar a quantidade dessas sementes, a Emater vem realizando um trabalho de catalogação de produtores, formando o que já está sendo denominado de “Clube de Sementes”. “Nós começamos esse trabalho de catalogação ano passado, no dia 09 de novembro, e já conseguimos catalogar 115 espécies de sementes, entre os 50 agricultores familiares que fazem parte do Clube das Sementes. Esse Clube ainda não foi oficialmente criado. Estamos trabalhando em um processo de transição, estimulando, por meio da Feira, a troca de sementes crioulas, mas também as mudas, que podem estar envolvidas no mesmo processo”, explicou Idivaldo Gamboa, extensionista da Emater e responsável pelo projeto das sementes.

Preservação – A importância de preservar é o mote da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema “Fraternidade: Biomas brasileiros e a defesa da vida”, e o lema “Cultivar e guardar a criação”. Por esse motivo, a segunda edição da Feira teve o apoio de várias instituições, entre elas a Diocese de Santarém, por meio da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, local onde a Feira está sendo realizada.

Para o titular da Sedap, Giovanni Queiroz, eventos como esse, que trazem à tona a importância do setor produtivo, em especial da agricultura familiar, são essenciais, porque mostram a diversidade das atividades agrícolas e os efeitos positivos da preservação. “Aqui nós temos diversas entidades ligadas ao setor produtivo rural, e a melhor forma de preservarmos a biodiversidade é ajudarmos o produtor a se desenvolver a partir do trabalho em sua propriedade. A agricultura familiar é a alavanca para o nosso desenvolvimento, e é um setor respeitado no mundo inteiro. Eu considero, também, que a melhor forma de nós reduzirmos a pobreza é investindo na produtividade agrícola, principalmente oferecendo condições de trabalho ao pequeno produtor”, ressaltou o secretário.

Experiências – Além de proporcionar intercâmbio entre os produtores, a Feira destaca experiências de sucesso de pequenos agricultores, que aboliram o uso de agrotóxicos e outros defensivos agrícolas, e passaram a cultivar somente produtos orgânicos de alta qualidade e valor nutritivo. É o caso de Raimundo Mauri, agricultor da comunidade Ponte Alta, que fica ao longo da Rodovia PA-457, na região do Eixo Forte.

“Eu trabalho com o manejo de abelhas de quatro espécies. Além disso, planto feijão, e na minha propriedade trabalhamos com tudo orgânico, por meio do sistema agroflorestal, enriquecendo cada vez mais a floresta e de lá tirando para meu consumo e para minha venda”, relatou o agricultor, que também destacou a produção orgânica de ovos de galinha caipira e sementes, nas comunidades de Murumurutuba e Santa Cruz, ambas na região do Planalto.

Cooperação – Durante a programação, foi celebrado entre a Prefeitura de Santarém, representada pelo prefeito Nélio Aguiar, e o governo do Estado, por meio do secretário Giovanni Queiroz, o Termo de Cooperação destinado a implementar ações do programa de aquicultura com ênfase na pesquisa, produção e fomento.

A II Feira da Agrobiodiversidade prossegue até sábado (21), com palestras, oficinas e capacitações para os produtores. O evento é realizado na área anexa à Igreja de Nossa Senhora de Fátima, no Bairro de Fátima.

 

Fonte – Governo do Pará

Deixe uma resposta