No Pará, 203 pescadores artesanais de caranguejo recebem capacitação com apoio do Instituto Mamirauá

Notícias

Com apoio do Instituto Mamirauá, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e de Pesca (Sedap-PA), capacitou mais 203 pescadores artesanais de caranguejo. A habilitação percorreu a Reserva Extrativista Maracanã no mês de maio, passando por três comunidades, no Estado do Pará. Os cursos, com foco no método de transporte sustentável do caranguejo-uçá (Ucides cordatus), contam com financiamento da Fundação Gordon and Betty Moore.

Durante a capacitação são oferecidas orientações sobre a embalagem adequada dos caranguejos para o transporte sustentável. A metodologia é responsável por aumentar o índice de sobrevivência dos crustáceos durante o transporte até os centros de venda, valorizando o produto e aumentando a renda dos pescadores da região. “Com essa modalidade de transporte, foram transportados de 60 a 100 mil caranguejos. A mortalidade do caranguejo caiu de 50% para 1,8%. Foi isso que legitimou a legislação que regula o transporte desse crustáceo atualmente”, disse Patrick Passos, técnico da Sedap-PA.

A Instrução Normativa nº 09/2013 – MPA regula que o caranguejo deve ser armazenado em “basquetas”, que são recipientes contentores cobertos por esponjas molhadas, que ajudam a conservar o produto. A metodologia rendeu a publicação “Manejo do caranguejo-uçá: o método de embalagem para o transporte sustentável” do Instituto Mamirauá (faça o download aqui). O Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) apoia a realização dos cursos desde 2013.

O curso de sobre boas práticas para o manejo de caranguejo-uçá, com foco no método de embalagem para o transporte sustentável, também é apoiado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Costeiras e Marinhas (CONFREM), entre outras instituições e atores sociais. Desde o começo da iniciativa, a parceria já resultou na capacitação de 448 pescadores e pescadoras de 12 comunidades, no Pará.

 

Fonte – Mamirauá

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta