Seminário trata da entomologia agrícola e florestal na Amazônia

Notícias

Com o objetivo de promover o intercâmbio técnico-científico entre pesquisadores, instituições e empresas envolvidas com atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação tecnológica em entomologia agrícola e florestal está sendo realizado em Manaus (AM) de 19 a 21 de junho o II Seminário de Entomologia e Acarologia Agrícola na Amazônia (II Seama).

O evento é uma iniciativa do Laboratório de Entomologia e Acarologia Agrícola (LEA) da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e instituições parceiras como Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). A programação acontece no Auditório Sumaúma, na Faculdade de Ciências Agrárias da Ufam, em Manaus.

A entomologia é um ramo da biologia voltado ao estudo científico dos insetos e sua relação com o ambiente, enquanto a acarologia estuda os ácaros. Em ambas áreas de conhecimento os temas abordados são de grande importância para a agricultura e economia. Serão discutidas questões relacionadas ao manejo de pragas agrícolas e florestais e também os problemas relacionados a insetos e ácaros de importância quarentenária, cuja entrada pela fronteira do Brasil nos estados amazônicos ocorre, entre outros motivos, pela existência de falhas nas barreiras fitossanitárias existentes e que resulta em prejuízos, com impactos na economia e na geração de emprego e renda na cadeia produtiva de alimentos no âmbito local, regional e nacional.

O seminário pretende promover uma discussão ampla sobre temas relacionados à entomologia e acarologia agrícola na Amazônia, considerando o desafio de contribuir para um modelo de agricultura pautada na sustentabilidade.

A palestra de abertura na manhã do dia 19 abordou os “Grandes desafios em Entomologia e contribuições da Sociedade Entomológica do Brasil”, com a presidente da Sociedade Entomológica do Brasil e pesquisadora da Embrapa, Eliane Dias Quintela. Na sequência, o painel “Manejo Integrado de Pragas em cultivos orgânicos de expressão socioeconômica”, inclui as palestras: do pesquisador da Embrapa Acre, Murilo Fazolin, sobre “Redução de doses comerciais de inseticidas: Potencialidade de utilização de óleos essenciais produzidos na Amazônia e no Brasil”; do pesquisador da Embrapa Rondônia, José Nilton Medeiros Costa, sobre “Manejo agroecológico em cultivo de frutíferas em Rondônia”; e do pesquisador da Embrapa Acre, Rodrigo Souza Santos, sobre “Prospecção e manejo agroecológico dos principais insetos-praga na agricultura indígena Kaxinawá”. A moderação do painel é feita pela pesquisadora do Inpa, Beatriz Ronchi Teles.

À tarde, de 13h30 às 15h30, acontece o painel “ Avanços no conhecimento sobre moscas-das-frutas na Amazônia brasileira”, tendo como moderador o pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Marcos Garcia, e palestras do pesquisador do Instituto Biológico de São Paulo, Miguel Francisco de Souza Filho, sobre “O estado da arte das pesquisas sobre moscas-das-frutas no Brasil” ; do pesquisador da Embrapa Amapá, Ricardo Adaime, sobre “Espécies de Anastrepha, suas plantas hospedeiras e parasitoides associados na Amazônia brasileira”; da pesquisadora da Embrapa Amapá, Cristiane Ramos de Jesus Barros, sobre “Pesquisa sobre Mosca-da-carambola no Brasil”; e do professor da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) em Sinop, Marliton Barreto, que apresentará “Informações preliminares sobre mosca-das-frutas (Diptera: Tephritidae) na região norte de Mato Grosso”.

Na sequência, acontece o painel “Insetos na alimentação animal e humana”, tendo a moderação do professor da Ufam e coordenador do evento, Neliton Marques da Silva, com duas palestras: “Criação e manejo da mosca soldado negra para alimentação animal”, por Nelson Poli, da Ufam, e “Antropoentomofagia: Insetos, a salvação nutricional da humanidade”, pelo professor José Carlos Oliveira, da Associação Brasileira de Criadores de Insetos (Asbraci), seguida de degustação de insetos.

Na quarta-feira, 20, o painel será sobre Pragas quarentenárias na Amazônia, com a pesquisadora da Embrapa Roraima, Elisângela Morais, que abordará sobre “Ameaças quarentenárias na Amazônia”; e palestras dos pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF), Marcelo Silva sobre os “Impactos causados por pragas quarentenárias”, e Denise Ferreira sobre “Ácaros de importância quarentenária para o Brasil e bioma Amazônia”, tendo como moderador do painel o pesquisador Walkimário Lemos da Embrapa Amazônia Oriental (Pará).

Na quinta-feira, 21, haverá a realização de uma sessão plenária, para apresentação dos principais resultados e encaminhamentos das propostas, com objetivo de formação e fortalecimento de redes de pesquisas para fins de implementação dos projetos em parceria. De acordo com os organizadores do seminário, pretende-se com o evento também analisar em que medida as agendas de pesquisas e equipes de pesquisadores existentes nas áreas de Entomologia e Acarologia (agrícola e florestal) vêm atendendo às demandas do setor agrícola no bioma Amazônia, verificar as lacunas de pesquisas e construir propostas para melhorar as interfaces entre programas e projetos científicos. A expectativa é que os participantes deste evento possam, na troca de informações e experiências, construir e encaminhar propostas que resultarão em projetos integrados de natureza interdisciplinar e interinstitucional, além de formação e diversificação de redes integradas de pesquisas em entomologia agrícola e florestal com foco no bioma Amazônia.

Haverá também no dia 21 o lançamento na versão e-book do livro “Pragas Agrícolas e Florestais na Amazônia”. O livro, publicado em 2016, conta com 60 autores que são pesquisadores e professores de diversas instituições do Brasil, contém 30 capítulos e está dividido em seis partes com informações sobre pragas de frutíferas, de grandes culturas, florestais, quarentenárias, gerais e parasitóides de ovos.

 

Fonte – Embrapa

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta