Setor rural ganha mais incentivos para financiamentos dos Fundos Constitucionais

Notícias

Produtores rurais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste terão condições mais atrativas para financiar suas atividades com recursos dos Fundos Constitucionais, administrados pelo Ministério da Integração Nacional nas três regiões. Taxas de juros ainda mais baixas foram aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional, na noite da terça-feira (26), e já estarão em vigor a partir de 1º de julho. Entre as mudanças, também, está possibilidade de o produtor rural escolher no ato do pedido de financiamento entre taxas pré e pós fixadas. Todos os valores ficam abaixo das demais fontes de recursos disponíveis no mercado.

Para os Fundos Constitucionais do Norte (FNO) e Nordeste (FNE), os valores pré-fixados podem variar entre 5,29% (para investimentos em bens de capital, por exemplo) e 5,91% (para operações de custeio isolado, comercialização e industrialização). Já para o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), os valores variam de 5,67% a 6,64%. Para efeito de comparação, as taxas oferecidas pelo mercado podem variar entre 6% e 7% em ambos cenários. Já para as opções pós-fixadas, há uma estimativa de valor um pouco abaixo dos pré-fixados, mas que sofrerão correções mensais de acordo com os índices da inflação. Para escolher a melhor opção, recomenda-se analisar, junto aos bancos, o tempo de prazo de financiamento e outras questões.

Com taxas mais atrativas, estima-se uma maior procura por recursos dos Fundos. De janeiro a maio deste ano, por exemplo, já foram concedidos R$ 2,2 bilhões em financiamentos para o setor rural apenas na região Nordeste. Os recursos são um estímulo para que mais produtores e empresários tenham acesso a crédito e possam aumentar a produtividade de seus negócios. O esforço do Governo Federal para desburocratizar os processos de financiamento resultou no crescimento de 52% dos valores contratados pelos Fundos Constitucionais em 2017, após um cenário de retração de 14% em 2016.

Crédito não-rural

Na última semana, também foi divulgada nova metodologia de cálculo para as taxas dos Fundos Constitucionais do setor não-rural. A Lei 13.682/18 definiu que os novos encargos passarão a ser calculados a partir de cinco indicadores: Fator de Atualização Monetária (FAM), Taxa de Longo Prazo (TLP), Coeficiente de Desequilíbrio Regional (CDR), Fator de Programa (FP) e Fator de Localização (FL). Saiba mais.

 

Fonte – Ministério da Integração

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta