INSS-AM e a programação de atendimento dos PREVBarcos até o final do ano

Variedades

O INSS-AM divulgou, em agosto, o cronograma de atendimento das unidades móveis flutuantes, conhecidas como PREVBarcos, até dezembro de 2018. Essas unidades atuam como agências da Previdência Social e contam com todos os serviços e benefícios previdenciários ao cidadão. Com capacidade para mais de 80 mil atendimentos ao ano, nas mais de 6 mil comunidades no interior do estado, a estrutura dos barcos permite o acesso a locais isolados, ampliando o alcance de atendimento e evitando que ribeirinhos tenham de navegar por longas e dispendiosas distâncias, em viagens que podem chegar a até 22 dias, com destino a uma cidade que tenha unidade fixa do INSS.

Os municípios que serão atendidos no 2º semestre de 2018 são: Jutaí, Fonte Boa, Uarini, Alvarães, Anori, Anamã, Caapiranga, Manaquiri, Novo Airão, Manicoré, Novo Aripuanã, Borba, Nova Olinda do Norte, Careiro da Várzea, Urucurituba, Boa vista do Ramos, Barreirinha, Urucará e São Sebastião do Uatumã.

O cronograma de atendimento das duas embarcações para 2019 já está em fase avançada de elaboração, com destaque para o atendimento ao indígena. A grande novidade será a parceria com a Fundação Nacional do Índio – FUNAI, que participa do cronograma de visita às aldeias e municípios que possuem indígenas. A integração permite um melhor alinhamento e otimização das ações, principalmente em localidades distantes como a Comunidade Betânia, formada por mais de 5 mil índios.

O PREVBarco dispõe de equipamentos de última geração para navegabilidade e estrutura completa de atendimento, o que possibilita que os segurados recebam os mesmos serviços de uma agência fixa do INSS.As duas embarcações navegam por todos os municípios e comunidades ribeirinhas das calhas dos rios Juruá, Purus, Madeira, Amazonas, Solimões, Japurá e Negro.

O PREVBarco atende a população que vive às margens dos rios amazônicos, em municípios onde não há unidades do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O público de maior demanda é formado pelos chamados segurados especiais, que são trabalhadores rurais que produzem em regime de economia familiar, sem utilização de mão de obra assalariada. Estão incluídos nessa categoria cônjuges, companheiros e filhos maiores de 16 anos que trabalham com a família em atividade rural.

Também são considerados segurados especiais o pescador artesanal e o índio que exerce atividade rural e seus familiares. Além do público previdenciário, o INSS também atende a uma parcela da população abrangida pelo direito aos benefícios assistenciais previstos na Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), que destina o pagamento de um salário-mínimo a idosos com mais de 65 anos e a portadores de deficiência de baixa renda, promovendo a inclusão social.

Fonte – INSS

Foto – Divulgação