MinC inicia capacitação para inscrições ao Prêmio Culturas Populares em sete municípios

Variedades

Os municípios de Natal (RN), Manaus (AM), Mossoró (RN), Boa Vista (RR), São Paulo (SP), Santana de Parnaíba (SP) e Soure (PA) serão os primeiros a receber, esta semana, oficinas gratuitas do Ministério da Cultura (MinC) para auxiliar os interessados em participar da 6ª edição do Edital Culturas Populares. Não será necessária inscrição prévia. Representantes do MinC estarão à disposição do público para tirar dúvidas, apresentar o edital e orientar como devem ser feitas as inscrições. As oficinas serão ministradas nas cinco regiões do País.

Em Manaus, o evento acontece na quinta-feira, 10/5, a partir das 18h,  no espaço, Les Artistes Café Teatro, no Centro.

O 6º Prêmio Culturas Populares: Edição Selma do Coco é a maior premiação da cultura popular em termos de valores e número de premiados, concedida pelo MinC desde 2007. Serão investidos R$ 10 milhões em 500 iniciativas que fortaleçam e contribuam para dar visibilidade a atividades culturais de todo o Brasil, como o cordel, quadrinha, maracatu, jongo, cortejo de afoxé, bumba-meu-boi, boi de mamão, entre outras.

Na edição 2018 do Edital, cada um dos premiados receberá R$ 20 mil, o dobro de 2017. As inscrições podem ser feitas até 13 de junho, pela internet, na página http://culturaspopulares.cultura.gov.br/, pelo sistema Salic, ou via postal.

O edital premiará iniciativas em cinco categorias: 200 prêmios para mestres e mestras (pessoa física); 180 para iniciativas de Grupos sem CNPJ; 70 para pessoas jurídicas sem fins lucrativos; 30 para pessoas jurídicas com ações comprovadas em acessibilidade cultural; e 20 para herdeiros de mestres e mestras já falecidos (in memoriam).

Lançado no último dia 27, em Recife (PE), a 6ª edição do Prêmio Culturas Populares homenageia a cantora pernambucana Selma Ferreira da Silva, a Selma do Coco, falecida em 2015.

Sobre o Prêmio

Nas cinco últimas edições, o Prêmio Culturas Populares contou com 9 mil inscrições e distribuiu R$ 18,7 milhões em prêmios a 1.545 mestres, grupos e entidades sem fins lucrativos, em todas as regiões do País. A premiação estava suspensa desde 2012 e foi retomada no ano passado, quando obteve número recorde de inscritos (2.862), com 500 premiados.

Na edição de 2017, foram 258 agraciados do Nordeste, 151 do Sudeste, 42 do Norte, 21 do Centro-Oeste e 28 do Sul do Brasil. Para garantir que a distribuição dos recursos seja feita de forma democrática, em 2018 serão 100 prêmios para cada região. Se uma das regiões não atingir o total de vagas existentes, as vagas restantes serão redistribuídas entre as demais regiões.

 

Fonte – MinC

Deixe uma resposta