Projeto que apoia gestão territorial na Amazônia vai elaborar indicadores de sustentabilidade

Notícias, Variedades

O Projeto Inclusão Geodigital e Gestão Territorial de Unidades de Produção de Base Familiar (Projeto IGGTS) – um dos projetos da Embrapa no âmbito do Fundo Amazônia – iniciou suas atividades no Amazonas e está coletando informações para elaborar indicadores de sustentabilidade agrícola coerentes com a realidade amazônica. O projeto pretende desenvolver soluções tecnológicas de gestão territorial capazes de gerar índices multicritério de sustentabilidade, com vistas ao empoderamento de famílias e juventudes rurais, agricultores, lideranças comunitárias e agentes multiplicadores da assistência técnica e extensão rural na Amazônia.

Nesta fase inicial, a equipe do projeto está captando informações sobre as diferentes realidades nos estados da Amazônia e estruturando os indicadores de sustentabilidade. Entre as atividades realizadas pelo projeto em Manaus, foi promovida uma oficina participativa com profissionais de diversas instituições e áreas do conhecimento, onde discutiram dados da realidade local, educação no campo e aspectos relacionados à sustentabilidade e desenvolvimento rural na Amazônia.

A oficina aconteceu no dia 30 de outubro, na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) em Manaus, e contou com a participação de profissionais da Secretaria de Educação do Estado do Amazonas (Seduc-AM), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas (Idam), Fundação Amazônia Sustentável (FAS), Embrapa Territorial e Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP), Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM), Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (Fea/USP) e Instituto de Socioeconomia Solidária (ISES).

Nessa oficina participativa, foram coletadas informações para elaborar indicadores de sustentabilidade coerentes com a realidade local e, assim, construir um Sistema de Gestão Territorial interativo e dinâmico, baseado na visão e interesses locais.

Pesquisadores da Embrapa e educadores posteriormente irão coletar informações junto a jovens estudantes de escolas rurais sobre o desempenho econômico, ambiental, social e de gestão de unidades familiares de produção agrícola. Essas informações alimentarão o sistema web, que será georeferenciado e a proposta é que o Sistema facilite ações para tomada de decisão, avaliações do uso e ocupação das propriedades agrícolas, apoiando ações de sustentabilidade junto às famílias de agricultores familiares.

O projeto prevê também promover a inclusão geodigital dos jovens, filhos dos agricultores familiares pertencentes ao bioma amazônico, pois eles serão os potenciais usuários do sistema que será georeferenciado e com as informações poderão colaborar com suas famílias na gestão de seus sistemas agrícolas. Para isso, o Projeto IGGTS irá realizar ações educativas de caráter não-formal nas modalidades presencial e ensino à distância para os jovens filhos dos agricultores familiares que estudam na zona rural. Para 2019, está prevista a realização de oito oficinas de capacitação presenciais, programadas para serem executadas em cada estado que integra o bioma Amazônia, e a estruturação de um curso a distância. Essas ações também se dirigem a técnicos da assistência técnica e da extensão rural (Ater) de instituições públicas e privadas da Amazônia, com vistas à aplicação e uso do Sistema de Gestão Territorial Sustentável, que se constituirá em um sistema interativo gerador dos índices de sustentabilidade agrícola.

O pesquisador da Embrapa Territorial e líder do projeto IGGTS, João Mangabeira, explica que uma das expectativas desse projeto é que os índices de sustentabilidade possam contribuir no empoderamento da sustentabilidade local do sistema de produção dos agricultores e possam dar transparência e visibilidade do que esses agricultores estão fazendo de forma sustentável para a Amazônia. Além disso, os dados obtidos sobre o grau de sustentabilidade poderão ajudar numa eventual certificação, na rastreabilidade do sistema de produção sustentável, ou ainda podem servir de referência para que os agricultores tenham índices para medir e melhorar a sustentabilidade de suas atividades, a partir do acesso a informações técnicas e adoção de soluções tecnológicas.

Para a pesquisadora da Embrapa Amazônia Ocidental, Joanne Régis, integrante do projeto, esta é uma boa oportunidade para contribuir com a capacitação de jovens em gestão territorial, computação e ferramentas digitais e, ainda, produzir e disseminar conhecimentos e tecnologias sociais da Embrapa.

Fundo Amazônia

O projeto Inclusão Geodigital e Gestão Territorial de Unidades de Produção de Base Familiar (Projeto IGGTS) faz parte de um conjunto de projetos coordenados pela Embrapa na Amazônia que formam o Projeto Integrado para a Produção e Manejo Sustentável do Bioma Amazônia, financiado pelo Fundo Amazônia e operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A participação da Embrapa no Fundo Amazônia busca promover a produção e a disseminação de conhecimentos e tecnologias voltadas para a recuperação, conservação e uso sustentável da Amazônia, por meio de apoio a projetos e ações de pesquisa, desenvolvimento, transferência de tecnologia, intercâmbio de conhecimentos e comunicação rural.

 

Fonte – Embrapa Amazônia Ocidental

Foto – Divulgação