Live promete debater os desafios da pesquisa e inovação na Amazônia

Ciência e Tecnologia

Especialistas e gestores da Embrapa vão apresentar e debater as estratégias da pesquisa e inovação para promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia. A live faz parte da série Amazônia em Foco, que tem como objetivo debater temas importantes que contribuam para superar a dicotomia entre produzir e preservar na região.

As estratégias de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Embrapa organizadas em torno de 33 Portfólios, entre eles o Portfolio Amazônia, serão abordadas pelo pesquisador Bruno Brasil, que é chefe da Secretaria de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa. E a bioeconomia é uma das áreas prioritárias, com atuação em parcerias público-privadas para fortalecer os sistemas agroalimentares da região e investir em pesquisas de ponta.

Para o pesquisador Judson Valentim, da Embrapa Acre, e líder do Portfolio Amazônia, a região apresenta um paradoxo que é a pobreza extrema de populações rurais vivendo em uma das regiões com maior estoque de riquezas naturais do planeta. “O desenvolvimento sustentável da Amazônia passa pelo acesso das comunidades a tecnologias que as permitam fazer o manejo florestal sustentável e aumentar a produção agropecuária nas áreas já desmatadas do bioma”, analisa.

Ações em curso na região

Uma das ações que a Embrapa vem realizando na região, em parceria com uma rede de instituições locais, é o Projeto Integrado da Amazônia (PIAmz), financiado pelo Fundo Amazônia e operacionalizado pelo BNDES. O trabalho envolve estratégias e ações participativas para a recuperação, conservação e o uso sustentável dos recursos naturais do bioma Amazônia.

“Buscamos promover a melhoria na condição produtiva das áreas de agricultura familiar, a agregação de valor aos produtos da biodiversidade e a geração de renda aos produtores familiares”, afirma a pesquisadora Michelliny Bentes, da Embrapa Amazônia Oriental, coordenadora do projeto.

A moderação da live será realizada pelo pesquisador Adriano Venturieri, que é chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental. Ele acredita que o debate vai contribuir para dar visibilidade às ações da Embrapa na região, mas acima de tudo para discutir e construir estratégias de PD&I que possam mudar os cenários de degradação e desmatamento e promover a proteção da biodiversidade na Amazônia.

 

 

Fonte – Embrapa Amazônia Oriental

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta