Colesterol e Covid-19: entenda relação e saiba como se proteger em tempos de pandemia

Ciência e Tecnologia

Com o início da pandemia do novo coronavírus, quando não era possível sair de casa nem para caminhar, muitas pessoas acabaram relaxando na atividade física e se entregando aos prazeres dos fasts foods via delivery. No entanto, o sedentarismo e má alimentação são dois importantes fatores de risco para aumentar o colesterol – um composto químico essencial à vida – sintetizado pelo fígado e adquirido nos alimentos ingeridos. Mas as taxas dele no sangue – muito altas ou baixas – são perigosas à saúde, podendo contribuir para o surgimento de várias doenças cardiovasculares, como infartos, acidentes vasculares cerebrais, aneurismas e doença arterial periférica.

Atualmente, cerca de 40% dos brasileiros tem colesterol alto e mais de 17,5 milhões de pessoas no mundo morrem, anualmente, devido às doenças do coração, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com endocrinologista do Hapvida Saúde, Antônio de Pádua, há dois tipos de colesterol: o HDL, considerado “colesterol bom”; e o LDL, denominado “colesterol ruim”. O colesterol é uma doença para todas idades, por isso a importância de uma alimentação saudável, além de fazer exames de sangue regularmente para controle.

“Um grande inimigo que se apresenta na pandemia e que ajuda a elevar o índice de colesterol e da glicemia é o sedentarismo e o estresse. Portanto, mesmo confinado, procure se movimentar e procurar atividades para evitar o estresse, procure ficar em locais com temperatura que traga conforto ao corpo, pois locais com muito barulho também pode trazer desconforto e elevação das taxas”, afirma o médico.

Cuidados

Uma dieta balanceada é importante para o controle das taxas de colesterol e podem ser ricas em frutas, verduras, legumes, fibras e grãos, por exemplo, e pobre em gordura saturada, como leite integral em excesso, manteiga, frituras e carne gorda. Por se tratar de uma doença silenciosa e perigosa, muitas vezes, o uso de medicação é aconselhável pelo médico para ajudar no controle do colesterol.

“Entre os principais produtos que devem ser evitados, estão os alimentos industrializados e embutidos, como as bolachas recheadas, sorvetes, fast foods, frituras e enlatados. Estudos comprovam que esses alimentos aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Também não precisam ser ‘proibidos’, mas consumidos como exceção”, explica o médico do Sistema Hapvida.

O check-up é um dos pilares da medicina preventiva que corresponde à união de dados da história clínica, exames laboratoriais e ergométricos – vinculados a uma análise de história pessoal do paciente em busca de detectar doenças incipientes ou iniciais.

O especialista explica que o check-up é importante para a detecção e o tratamento precoce de possíveis doenças. “O aconselhável é manter uma periodicidade anual, mas em alguns casos esse tempo pode e deve ser menor, como em indivíduos portadores de hipertensão, colesterol alterado, diabetes, evitando que essas doenças se tornem graves”, destaca o médico.

Colesterol x Covid-19

Com a pandemia da Covid-19, um alerta importante também é com o sedentarismo e a alimentação pouco saudável que está sendo consumida tanto pelos adultos quanto pelas crianças. É preciso atenção com o colesterol familiar.

“Como muitas crianças estão em casa e sem as atividades físicas diárias de correr e brincar, elas acabam ficando mais tempo no celular, computador, televisão e mudando seu estilo de vida. Os pais devem estar atentos a essa situação e equilibrar a alimentação da criançada com frutas, verduras, bastante água, além de sucos naturais”, completou o médico.

Dicas de alimentação para reduzir o colesterol

• Coma moderadamente carnes e derivados de leite integral;
• Prefira peixes e frango sem pele ao invés de carnes vermelhas, eles têm menos gorduras;
• Prefira leite e derivados com menos gordura;
• Coma à vontade verduras, legumes e frutas frescas;
• Coma leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.) e prefira cereais integrais (como arroz, aveia e trigo) e massas feitas com eles;
• Cozinhe os alimentos com um mínimo de gordura, é possível preparar vários dos seus pratos favoritos com muito pouca;
• Prefira os alimentos cozidos, refogados, grelhados ou assados ao invés de fritos;
• Refogue os alimentos com pouco óleo, utilize caldos não gordurosos;
• Tire a gordura de carnes e a pele de frangos;
• Doure a carne e drene a gordura antes de adicionar outros ingredientes;
• Tenha moderação na quantidade de creme de leite, chocolates, sorvetes à base de leite, presunto e demais embutidos.

Se você tem diabetes, procure a orientação de um médico sobre as adaptações necessárias na alimentação para diminuir o colesterol.

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta