Pesquisa mostra que 52% dos passageiros das periferias de Manaus aumentaram o uso de carro por aplicativo

Ciência e Tecnologia

Moradores das periferias estão utilizando o transporte por aplicativo com maior frequência (52%) para evitar aglomerações e contaminação pelo coronavírus no deslocamento (28%). Entre os entrevistados, 42% cumpriram o isolamento social no período de quarentena e saíram apenas para o necessário. Outros 58% afirmaram já ter voltado efetivamente para as ruas nos últimos três meses.

Para enfrentar essa jornada, muitos deles optaram pelo uso do app da 99, resultando em um aumento de 21% nas viagens realizadas pelo quartil mais pobre da capital amazonense. Por outro lado, ainda entre os meses de fevereiro e agosto, as corridas feitas pela parcela mais rica caiu 3% .

Somado a isso, 91% dos respondentes das periferias de Manaus sofreram algum impacto econômico significativo em suas finanças e afirmam que passaram a viver mais o próprio bairro, comprando e realizando serviços perto de casa, durante a pandemia. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em maio, Manaus apresentou 18,5% de taxa de desocupação no primeiro trimestre deste ano, média superior à nacional, que ficou em 12,2%.

Essas são algumas das conclusões da pesquisa “Como as periferias se reconectam com a cidade”, realizada no final de julho pela 99, empresa de tecnologia ligada à mobilidade urbana. A empresa investigou a mobilidade urbana durante a pandemia nos bairros periféricos de seis capitais brasileiras e identificou mudanças de comportamento entre os passageiros. Em Manaus, foram entrevistados usuários de aplicativos nas regiões Cidade Nova e Compensa, localizados na zona oeste; São José Operário e Jorge Teixeira, localizados na zona leste.

Diante do aumento da utilização dos apps no dia a dia, os deslocamentos para o trabalho na capital amazonense passaram a ser realizados majoritariamente por esse meio para 43%, já 40% seguem utilizando os ônibus. Vale ressaltar que 49% utilizavam o transporte público para se deslocar antes da pandemia.

Existe o desejo em utilizar meios de deslocamento que ajudem na percepção de segurança contra a Covid-19, evitando aglomerações. Além disso, a maioria passou a utilizar a modalidade por comodidade (46%), segurança física, para evitar assaltos (42%) e o valor por trajeto (36%).

“A pesquisa reflete nosso compromisso para democratizar o acesso às cidades por meio do transporte. Antes da pandemia, a maioria das nossas corridas já ocorriam fora do centro expandido. Diante de um impacto econômico e social tão grande, vimos a demanda nas regiões periféricas crescer ainda mais. O aumento de viagens realizadas pelos quartis mais pobres das cidades é uma tendência por todo o Brasil. E, por isso, estamos focados em garantir soluções acessíveis e seguras para todos”, explica a diretora de Comunicação da 99, Pâmela Vaiano.

Para apoiar quem vive na periferia ou fora dos centros expandidos, a 99 criou novas categorias no aplicativo. Entre elas, o 99Poupa, opção para viagens com preços até 30% mais baratos para os passageiros e em horários de menor demanda; e o 99Entrega, que possibilita aos usuários enviarem objetos pessoais a amigos e familiares de forma simples, segura e rápida, respeitando o isolamento social. Ambos já estão disponíveis em Manaus. Outro lançamento, ainda não disponível na cidade, é a 99Pay, carteira digital, que traz benefícios financeiros reais para os usuários, como cashback e descontos nas corridas e serviços de pagamento (boletos bancários e recarga de celular, por exemplo), além de atender uma parcela da população desbancarizada.

Carros por app para atividades essenciais

Os carros por app têm sido essenciais na rotina de quem mora na periferia de Manaus e está vivendo mais os bairros. Dos entrevistados, 70% disseram usar os carros por app para fazer compras essenciais, como mercado e farmácia. Os aplicativos também são uma das opções mais usadas por aqueles que precisam realizar consultas e atendimentos em hospitais e em dentistas (71%) .

Perfil dos moradores das periferias de Manaus

Dos passageiros que transitam nas áreas investigadas de Manaus, 84% moram com a família, 50% têm filhos e 80% declararam pertencer às classes C, D e E.

Dos entrevistados, 89% estão utilizando o carro por app: 52% já usavam o serviço e passaram a utilizar mais durante a pandemia, 37% continuam usando com a mesma frequência de antes e 5% não utilizavam e passaram a usar.

O carro próprio não é uma opção para a maioria: 74% dos entrevistados afirmam não ter um veículo e 60% não pretendem comprar um nos próximos seis meses, em que pese haver um desejo pelo uso automóvel próprio como meio de locomoção (17%), atrás ainda do carro por app (56%).

O deslocamento por carro como passageiro, seja de familiares, amigos ou conhecidos, já era utilizado e passou a ser ainda mais durante a pandemia (24% dos entrevistados) . Já a locomoção a pé é feita por 44% dos pesquisados, sendo que 19% afirmaram estar usando mais esta alternativa como meio de deslocamento.

Novas formas de consumo

Assim como as formas de deslocamento na cidade, o consumo nas regiões periféricas também mudou com a pandemia. Antes dela, já era comum que moradores realizassem compras em seus bairros, mas esse movimento ganhou ainda mais força. O comportamento pode ser influenciado pela preocupação com o sustento do comércio local, apontada por 91% dos respondentes.

Segundo os resultados da pesquisa, mais da metade dos entrevistados concentram suas compras em seus bairros: 56%. Quando comparado ao momento pré pandemia, é possível notar um aumento de 4%. Além disso, 28% passaram a adquirir serviços dentro do bairro. O número de pessoas que consumia com maior frequência em outros bairros ou dividia suas compras entre eles e onde moram, por sua vez, diminuiu.

As compras online também ganharam mais espaço na rotina das pessoas e mostram um salto expressivo em todas as cidades. Antes da pandemia, apenas 3% dos moradores costumava fazer suas compras em lojas online. Durante a pandemia, esse número saltou para 10%.

 

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta