Pesquisa sobre o impacto da pandemia em jovens busca voluntários

Ciência e Tecnologia

Dermatomiosite juvenil e hepatite autoimune são exemplos de condições crônicas. Para compreender o impacto da pandemia e do isolamento em adolescentes que possuem condições como essas, o Instituto da Criança e do Adolescente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (ICr – HCFMUSP), em São Paulo, criou o primeiro estudo simultâneo da área.

O objetivo é avaliar adolescentes que possuam condições crônicas, e também aqueles que não apresentam, para medir o impacto da pandemia, e consequente isolamento social, em aspectos como sono, alimentação, saúde psíquica e emocional.

Além disso, será realizado um ensaio clínico randomizado de um programa de treinamento físico aeróbico on-line com os adolescentes que possuem condições crônicas (doença inflamatória intestinal; hepatite autoimune; lúpus eritematoso sistêmico juvenil; dermatomiosite juvenil; artrite idiopática juvenil; glomerulopatias; doença renal crônica, estágios 3, 4 e 5 e em diálise; transplantados renais e hepáticos; doença celíaca e esofagite eosinofílica). Eles serão divididos em dois grupos. Um deles realizará atividades físicas de maneira supervisionada e on-line por profissionais de educação física do projeto.

“Iremos estudar se a atividade física pode melhorar o sono, o aspecto emocional e físico dos adolescentes. Para quantificar a resposta, os dois grupos receberão um aparelho para quantificar a atividade antes do estudo e ao final dele”, explica Clóvis Artur Almeida da Silva, professor do Departamento de Pediatria da FMUSP e responsável Técnico-Científico das Unidades de Adolescentes e Reumatologia do ICr, que coordena a pesquisa.

Por meio dela será possível verificar possíveis associações dos resultados com dados demográficos, alterações da saúde física e psíquica entre adolescentes com e sem condições crônicas em isolamento social.

Segundo o professor, a proposta agora é encontrar adolescentes saudáveis para participar do estudo, já que há voluntários suficientes com condições crônicas. O estudo é voluntário. Os participantes serão atendidos por médicos, nutricionistas, e até psicólogos e psiquiatras caso haja necessidade.

Para participar, os responsáveis dos jovens devem enviar mensagem via WhatsApp para um dos quatros telefones: (11) 97579-1539, (11) 96117-7434, (11) 99187-3193 ou (11) 99430-2540. Ou realizar a inscrição por meio do formulário on-line.

 

 

Fonte – USP

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta