Plataforma digital conecta artistas do Vale do Ribeira com consumidores de arte de todo Brasil

Ciência e Tecnologia

Artistas do Vale do Ribeira agora contam com uma plataforma digital e interativa para divulgarem o seu trabalho. O portal https://www.roteirosdacultura.com.br, que entra no ar nesta quarta-feira, 10 de março, reúne o trabalho de 60 profissionais de 19 municípios da região. A iniciativa faz parte do projeto Roteiros da Cultura Brasileira, realizado pelo Instituto Meio, com apoio da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e o Governo Federal, financiado por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Instituto Votorantim e pelo Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país.

O portal é fruto do projeto Roteiros da Cultura Brasileira, que também promoveu uma capacitação com foco em empreendedorismo e comunicação, visando preparar os artistas para identificarem e aproveitarem as oportunidades do ambiente virtual. A plataforma reúne diferentes expressões artísticas, como profissionais do Artesanato, Música, Artes Dramáticas (dança, teatro, circo e marionetes), Artes Visuais (pintura, fotografia, escultura, desenho e outros), Audiovisual (cinema, televisão, rádio e web), Gastronomia, Literatura (poemas, rimas, livros e demais produções literárias) e Design (de interiores, moda, jóias e brinquedos).

De acordo com Daniela Gerdenits, coordenadora de Parcerias e Responsabilidade Social do Legado das Águas, o objetivo em trazer o Projeto Roteiros da Cultura Brasileira para o Vale do Ribeira é valorizar as vocações econômicas e artísticas da região, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico e cultural dos municípios.

“Em 2020, vimos as dificuldades de muitos empreendedores em migrarem seus negócios para o ambiente digital. Com o projeto, o objetivo foi capacitar e fortalecer os artistas da região para expandirem seus negócios na internet e dar visibilidade a essa rede de artistas. Agora, com o portal, a arte está a um clique, pessoas de qualquer parte do país terão acesso à riqueza cultural do Vale do Ribeira. Temos certeza que o portal, assim como a capacitação, irá gerar ótimos frutos para os artistas locais”, explica Daniela ao lembrar que a iniciativa do portal é inédita na região.

Lars Diederichsen, presidente do Instituto Meio, explica que o projeto buscou entender de forma integral os desafios dos artistas. “Empreender e comunicar arte e cultura é desafiador para a maioria dos artistas. Isso significa, muitas vezes, a desistência de um sonho e o enfraquecimento da cultura regional. Por outro lado, há público interessado em consumir cultura. A pandemia acelerou o processo de digitalização e isolou ainda mais os artistas, principalmente em territórios como o Vale do Ribeira. Durante a capacitação, trabalhamos desafios de gestão da carreira, a necessidade de presença no ambiente digital e até mesmo a valorização de si mesmo como artista. Com a capacitação, que ocorreu 100% por WhatsApp, apresentamos soluções e estratégias para equilibrar esses desafios. Convido o público a acessar o portal e conhecer cada um dos maravilhosos artistas do vale do Ribeira”, diz.

Transformação

Para muitos participantes, o projeto marcou uma transformação, principalmente pelo ganho de confiança em mostrar o próprio trabalho. Agora, a aposta dos artistas está no portal e nas redes sociais para aumentar a visibilidade e, consequentemente, as vendas. Como é o caso do artesão de instrumentos musicais com resíduos florestais, Fernando Guiginski, 40 anos, de Iguape. “O curso ajudou muito na organização e como enxergamos a produção artística. Passei a valorizar mais os meus produtos e a mim mesmo. Além disso, as aulas mostraram dicas práticas de como alcançar o meu público-alvo nas redes sociais, mostrando a identidade e características das minhas obras”, conta o artesão.

Para outros artistas, o curso marcou o início da presença digital. A artesã Elisabete Carneiro, 62 anos, que tem na cultura caiçara de Ilha Comprida a inspiração para seus filtros dos sonhos e panos de pratos em patchwork (“trabalho com retalho”), começou a divulgar seu trabalho nas redes sociais durante a capacitação. “Estou conseguindo administrar melhor o meu tempo, fazendo o necessário e focando no que é essencial para fazer o meu negócio crescer. Por isso, comecei divulgar a minha marca no Facebook e Instagram”, anuncia a artesã, que também está ansiosa para o lançamento do portal.

O curso também ajudou artistas que estão no começo da carreira, como Carlos Patrick, 20 anos, de Tapiraí, que decidiu fazer do passatempo, uma carreira. “A capacitação me ajudou a pensar fora da caixa e a valorizar mais a minha arte. Aprendi que posso transformar algo que faço por prazer, em algo profissional e gerar renda com isso. Já tenho uma página no Instagram, mas com o curso, aprendi a como gerenciá-la com olhar de negócio, gerar valor com o meu trabalho e atrair o meu público”, revela.

Essas e outras histórias estão no portal, em uma coletânea de vídeos dos profissionais mostrando o seu processo criativo e produtivo, possibilitando que consumidores de arte conheçam melhor o artista e a cultura presente na peça ou trabalho.

Serviço

Endereço eletrônico

Sobre o Legado das Águas – Reserva Votorantim

O Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, com extensão aproximada à cidade de Curitiba (PR), é um dos ativos ambientais da Votorantim. Localizada na região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, a área foi adquirida a partir da década de 1940 e conservada desde então pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que manteve sua floresta e rica biodiversidade local com o objetivo de contribuir para a manutenção da bacia hídrica do Rio Juquiá, onde a companhia possui sete usinas hidrelétricas. Em 2012, o Legado das Águas foi transformado em um polo de pesquisas científicas, estudos acadêmicos e desenvolvimento de projetos de valorização da biodiversidade, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

Hoje, o Legado das Águas é administrado pela empresa Reservas Votorantim, criada para estabelecer um novo modelo de área protegida privada, cujas atividades geram benefícios sociais, ambientais e econômicos de maneira sustentável.

Sobre o Instituto Meio

O Instituto Meio é uma organização privada, sem fins lucrativos, que leva, há 15 anos, projetos que visam ampliar as oportunidades de melhoria de qualidade de vida a populações menos favorecidas, através de implementação de estratégias de geração de renda economicamente viáveis, socialmente justas, ambientalmente sustentáveis e culturalmente aceitas. O Instituto Meio, como organização cultural reconhecida, é a proponente do projeto, aprovado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Pronac 190437.

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação 

Deixe uma resposta