Laboratórios da Academia STEM/UEA serão inaugurados no dia 15 de outubro

Ciência e Tecnologia

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) vai inaugurar, no próximo dia 15 de outubro, às 8h, o complexo de laboratórios do projeto Academia STEM (do inglês, Science, Technology, Engineering e Mathematics), instalados na Escola Superior de Tecnologia (EST/UEA), zona centro-sul de Manaus. O referido projeto é incentivado pela Samsung Eletrônica da Amazônia LTDA, de acordo com a lei 8.387/91.

A estrutura a ser inaugurada se divide em dois conglomerados: a sede fixa do projeto o STEM Lab, que possui a estrutura de 1.500m² e abriga laboratórios, salas de aula, espaços de convivência voltados para a realização das atividades do projeto; e dois laboratórios móveis – ambientes de estudos e criações instalados em carretas totalmente adaptadas, que levarão cursos e treinamentos na área STEM para estudantes do Ensino Médio da rede pública de Manaus e Região Metropolitana do Amazonas.

STEM Lab vai receber até 500 alunos

O objetivo do espaço físico denominado STEM Lab é de difundir os cursos de engenharia da UEA entre alunos de Ensino Médio da rede pública, além de formar acadêmicos de cinco áreas das Engenharias da Universidade: Engenharia Elétrica, de Produção, da Computação, de Automação e Controle, Engenharia Eletrônica e Sistemas de Informação.

Com capacidade para receber 500 estudantes, os três andares contam com dez salas de aula e espaços interativos. No térreo, o Centro de Convivência (CDC), é composto por um amplo ambiente para interação e aberto para todos os acadêmicos. Os espaços de ensino, localizados nos dois andares superiores, foram construídos com paredes móveis, que possibilitam a ampliação das salas, conforme a necessidade de adaptação.

Além disso, o espaço foi integralmente pensado para facilitar o ensino por meio de metodologias ativas, que buscam colocar o aluno como uma peça central do processo de aprendizagem. O prédio conta ainda com laboratórios especificamente voltados para aulas de automação e computação.

Devido à pandemia de Covid-19, os estudantes do projeto participam das aulas oferecidas de forma remota. A partir da inauguração, os cursos poderão ser ministrados nas salas do novo espaço e a ocupação acontecerá de forma gradativa, a depender da flexibilização das medidas sanitárias.

O coordenador-geral da Academia STEM, professor Dr. Jucimar Maia Junior, informou que a nova estrutura possibilitará uma maior eficiência nos resultados provenientes das atividades ali desenvolvidas.

“Atualmente, conseguimos fazer um trabalho muito interessante mesmo de forma remota. Porém, quando os alunos puderem acessar o novo espaço, o ensino ficará ainda melhor. A inauguração significa para a academia STEM um salto de qualidade das atividades que são desenvolvidas nos projetos. Poderão ser aplicadas técnicas muito mais práticas, envolvendo a interação com os equipamentos que nós disponibilizamos. Isso é muito importante para o aprendizado”, revelou.

Laboratórios itinerantes: carretas

Os laboratórios itinerantes têm a proposta de difundir o conhecimento em robótica, linguagem de programação, movimento maker (que estimula qualquer pessoa a construir, consertar e fabricar diversos tipos de projetos, também chamado de “Faça Você Mesmo” no Brasil).

Trata-se de uma importante ação voltada para aumentar o interesse dos estudantes em carreiras nas áreas de Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, para causar um impacto positivo no mercado de tecnologia da região amazônica.

“Com esse maior engajamento dos estudantes, acreditamos que a formação acadêmica e profissional da força de trabalho local será aprimorada, seguindo o nosso propósito de estimular as pessoas a atingirem o seu pleno potencial para que a tecnologia promova soluções para a sociedade”, declarou o gerente sênior de Inovação na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Samsung, Eduardo Conejo.

Sobre o projeto

A Academia STEM é voltada para capacitação e formação profissional dos estudantes, buscando desenvolver, potencializar e divulgar as áreas de Engenharia de Automação e Controle, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica, Engenharia de Produção e Sistemas de Informação.

“O projeto propicia ainda o aumento do interesse pelos cursos de graduação STEM, buscando reduzir as taxas de evasão escolar e reprovação na comunidade acadêmica e, dessa forma, melhorar as competências técnicas dos profissionais que atuarão no Polo Industrial de Manaus (PIM)”, ressaltou o reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa.

Pilares de ensino

“O projeto Academia STEM é composto por três pilares, onde cada um tem um foco diferente: alunos do Ensino Médio, Ensino Superior e, por fim, o preparo do estudante para o mercado de trabalho e para empreender”, reforçou a Pró-Reitora de Planejamento da UEA, Maria Olívia Simão.

O pilar Atração, o primeiro entre os três, visa despertar o interesse de alunos do Ensino Médio para as áreas STEM, com o objetivo de incentivar o ingresso desses estudantes nos cursos de engenharia da EST/UEA. São desenvolvidas atividades nas mídias sociais por meio de podcasts, lives e vídeos informativos, além da oferta de cursos gratuitos de capacitação on-line.

Criar um ambiente que potencialize a formação dos estudantes é o principal objetivo do pilar Permanência. As atividades buscam reduzir as lacunas de conhecimento ao oferecer um ensino complementar e, dessa forma, diminuir a taxa de evasão dos estudantes de graduação. Aos estudantes participantes deste pilar, são oferecidas bolsas no valor de R$ 600.

No pilar Excelência, as atividades têm como intuito viabilizar a estruturação e perpetuação de um polo único de conhecimento que potencialize maior aderência entre as formações ofertadas nos cursos de engenharia no Amazonas e as competências demandadas no PIM. A partir do uso de modernas técnicas, metodologias e iniciativas de aprendizagem, as atividades incluem um portfólio de programas e ações de capacitação.

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

 

Deixe uma resposta