Jornalismo Cultural promove painel sobre impactos da pandemia nas comunidades tradicionais

Cultura

Os impactos da pandemia do novo coronavírus junto a comunidades indígenas e quilombolas revelam marcas de exclusão e violência que permanecem atuais. Para discutir a temática, o grupo de pesquisa Jornalismo Cultural e Folkcomunicação e a equipe editorial da Revista Internacional de Folkcomunicação, do Mestrado em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa, promovem um painel no dia 7 de julho, às 19h, com transmissão pelo facebook (@mestradoemjornalismouepg).

Os pesquisadores que integram o painel, com ampla experiência e trajetória sobre comunidades tradicionais, oferecem contribuições ao debate sobre direitos, proteção social e ausência de políticas públicas para grupos indígenas e quilombolas. Participam da atividade a liderança indígena do povo Pankararu, Cristiane Julião, doutoranda em Antropologia Social pelo Museu Nacional/UFRJ; o professor Renan Albuquerque, da Universidade Federal do Amazonas, coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ambientes Amazônicos (Nepam/Ufam); e a professora Clarissa Marques, da Universidade de Pernambuco, coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa Transdisciplinares sobre Meio Ambiente, Diversidade e Sociedade e do Coletivo Direitos em Movimento. A mediação do debate será realizada pela professora Karina Janz Woitowicz, do Curso de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

O painel marca o lançamento da 40ª edição da Revista Internacional de Folkcomunicação, publicada no mês de junho, que traz como destaque o dossiê “Folkcomunicação, povos e comunidades tradicionais”, com a participação da professora Cristina Schmidt, da Universidade de Mogi das Cruzes.

 

 

Fonte – Ufam

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta