Filme amapaense é premiado no Festival Guarnicê, no Maranhão

Cultura

O cinema amapaense alcançou reconhecimento nacional na última segunda-feira, 26, quando o curta-metragem “Açaí” foi premiado no 43º Festival Guarnicê de Cinema, realizado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O filme foi premiado em duas categorias: melhor curta-metragem nacional por júri popular; e melhor trilha sonora original, assinada por Manoel Cordeiro e banda O Sósia. A obra foi uma das nove produções cinematográficas lançadas no 1º edital de Produção Audiovisual do Governo do Estado, em 2017.

A solenidade de premiação foi online pela plataforma digital do festival. “Açaí” é inspirado em situações do cotidiano e o jeito de falar dos amapaenses e conta a história de um jovem da periferia da zona norte de Macapá. Foi a única obra do estado que fez parte da programação.

Por conta da pandemia, o filme não pôde ir às telonas, mas graças a adaptação do festival Guarnicê, a obra pode ser prestigiada pelos brasileiros que o elegeram como melhor curta do país.

“Concorremos com obras nacionais estreladas por artistas consagrados como Lima Duarte, entre outros. E com grande responsabilidade nosso elenco e toda a equipe audiovisual honrou o Amapá recebendo o prêmio nas categorias mais importantes. É uma conquista imensurável”, declarou André Cantuária, diretor do curta.

A ficção tem 18 minutos de duração e possui classificação livre. Para quem ainda não assistiu a oportunidade será nos próximos festivais, segundo o diretor, a estreia nas telonas de cinema no Amapá será programada pós-pandemia. O lançamento das nove produções do 1º Edital de Audiovisual do Amapá, ocorreu em fevereiro deste ano.

“Queremos agradecer a todos que assistiram e votaram dando esse grande incentivo ao nosso trabalho”, agradeceu o ator Joca Monteiro, que estrelou o curta, durante live em um de seus perfis nas redes sociais.

Sinopse e produção

O filme conta a saga de Dionlenon, um homem de 30 anos que está acostumado com a vida que leva ao lado da mãe, com quem mora no bairro Novo Horizonte. Ele sai em busca de dois litros de açaí para almoçar, mas não conta com uma viagem tão distante assim.

Açaí surgiu do projeto social “Cine Perifa”, que é coordenado pela diretora executiva da obra, a jornalista Jhenny Quaresma. O trabalho consiste na oferta de oficinas sobre a arte do cinema para moradores da periferia de Macapá.

Com a realização das oficinas, o grupo identificou o potencial dos roteiros para a produção de curtas. A obra “Açaí” contou com a participação de 50 amapaenses entre diretores, atores, produtores, entre outros profissionais.

 

 

 

Fonte – Governo do Amapá

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta