Museu Amazônico lança selo comemorativo pelo seus 30 anos

Cultura

O Museu Amazônico da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em parceria com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, na manhã desta sexta-feira, 17 de setembro, de forma remota, lançou selo comemorativo referente aos seus 30 anos. O selo ficará disponível em uma semana na agência virtual e em seguida nas agências físicas. A circulação será enquanto durar a atual moeda nacional.

De acordo com o reitor da Ufam, professor Sylvio Puga, o selo consagra e reconhece um trabalho institucional de 30 anos. “Essa homenagem é justa pelo trabalho realizado pelo Museu Amazônico para a nossa sociedade e comunidade acadêmica, além de aumentar a responsabilidade do Museu Amazônico para novos projetos e atividades”, destacou.

Para o diretor do Museu Amazônico, servidor Dysson Teles Alves, essa é uma oportunidade de ampliar a visibilidade do Museu. “O Museu Amazônico não é apenas um local de apresentação de exposições, mas sim um espaço de pesquisas e produção de trabalhos, sem deixar de lado a organização de exposições, palestras e tem sob sua guarda diversas coleções etnográficas, uma vasta coleção iconográfica e documental e mais recentemente um acervo arqueológico com incontáveis peças e fragmentos deixados pelos nossos ancestrais. Dar visibilidade a isso tudo é um dos nossos objetivos e o selo é mais uma peça nesse caminho”, explicou.

A professora e diretora de Difusão do Museu Amazônico, a docente Carolina Gonçalves, lembrou que o selo coloca o Museu no cenário nacional e internacional. “ É um momento histórico porque é a primeira vez que o Museu Amazônico recebe este selo. Certamente, entra para nossa memória e esperamos que o Museu reverbere ainda mais na nossa sociedade”, disse.

Filatelia

A filatelia é o estudo e o colecionismo de selos postais e materiais relacionados. O objetivo é selecionar selos para compor coleções, gerais ou temáticas, que possibilitam conhecer mais sobre um lugar, objeto, pessoa, país, etc. Segundo o presidente do Clube Filatélico do Amazonas (CFA), Roberto Mendonça, o Museu Amazônico entra para essa história. “ Foi em 1969 que as atividades do CFA tiveram início e segue até hoje, mesmo com a diminuição do envio de correspondências. Recentemente, fizemos uma amostra do material e agora temos uma sala na agência dos Correios da rua Monsenhor Coutinho. Esse é o espaço que os filatelistas têm para adquirir seu material e trocar os selos. O Museu Amazônico, mesmo em um contexto de pandemia, conseguiu fazer parte dessa história e colocar no país o selo marcando os 30 anos da Instituição”, enfatizou.

Durante a solenidade, o filatelista e secretário do CFA, Adriel França, explicou que é possível conhecer um país ou um determinado tema pelos selos. “A filatelia registra um evento, um fato e a história. Isso é muito importante para a construção da história brasileira, que há mais de 150 anos, pode ser contada pelos selos. Espero que essa peça do Museu Amazônico continue contribuindo com a filatelia, a história do Brasil e a sociedade do Amazonas como um todo”, finalizou.

Museu Amazônico

É um órgão suplementar da Ufam, criado em 1987, implantado em 1989, e inaugurado em 1991. Tem função de auxiliar as atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão. Há seis divisões com funções bem definidas: Arqueologia, Documentação Histórica, Museologia, Paleontologia, Antropologia e Cultural. As cinco primeiras, são responsáveis pela guarda, organização e disponibilização das suas respectivas coleções para pesquisas; já a Divisão Cultural é encarregada de promover a integração do Museu Amazônico com a sociedade em geral, divulgando as ações promovidas pelo Museu e realizando atividades culturais dentro e fora do circuito acadêmico.

Fonte – Ufam

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta