Exposição de arte indígena transforma vidas e surpreende turistas em Parintins

Cultura

Uma das novidades da 5ª Feira de Artesanato Indígena deste ano, realizada pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação Estadual dos Povos Indígenas do Amazonas (Fepiam), são as exposições de quadros de artistas que encontram na arte um refúgio durante suas lutas contra a adiccão (vício em entorpecentes).

Os quadros estampam tradições milenares dos povos indígenas por meio de uma visão artisticamente contemporânea, os quais celebram a libertação, a resistência indígena e, também, a estética dos bumbás Caprichoso e Garantido.

“A iniciativa do projeto é promover a visibilidade da cultura local e demonstrar o talento de artistas de origem cabocla”, enfatizou o gerente de eventos da Fepiam, Sérgio Ricardo.

O artista plástico José Pinto, de 39 anos, afirma ter encontrado uma forma de expressar a gratidão e a libertação do vício em substâncias ilícitas.

“Nossa finalidade com a exposição é mostrar nosso trabalho, que é executado por nós artistas de Barreirinha, onde hoje conseguimos achar uma saída para combater os vícios, por meio da arte ”, destacou o artista plástico José Pinto.

Entre as matérias primas utilizadas nos trabalhos estão: a madeira marupá, que é uma das madeiras mais utilizadas no meio artístico, colas, pincéis e alguns tipos de tecidos.

“Os quadros e demais artesanatos expostos na feira carregam sobre as telas e esculturas uma série de cenários amazônicos, onde a arte indígena é muito rica, composta por diversos elementos que portam simbologias antigas e sabedorias sagradas, recebidas de seus antepassados”, destacou o diretor-presidente, Nilton Makaxi.

“É muito importante reforçar o apoio para a arte indígena e prestigiar o trabalho dos povos originários do nosso estado, principalmente aqueles que buscam a ressocialização e expressam seus sentimentos em forma de arte. É o Governo do Amazonas transformando a vida de nossos parentes”, pontuou o diretor-técnico da Fepiam, Joabe Leonam.

A Feira de Artesanato Indígena, que acontece até domingo (30), está montada do lado direito da Catedral de Nossa Senhora do Carmo, no Centro da cidade, e aberta das 8h às 22h.

 

Fonte – Agência Amazonas

Foto – Divulgação

Deixe um comentário