Palestra sobre filosofia reúne 600 pessoas em Manaus

Cultura

“Somos uma sociedade que não tem sabedoria, temos conhecimento. Temos tecnologia e não sabemos nada da vida: é como se soubéssemos descrever as características técnicas de um livro, quantas páginas ele tem, tamanho, cor, peso, mas não soubéssemos ler. A Filosofia é uma ferramenta que pode ajudar o homem na busca pela sabedoria”. Para a filósofa Lúcia Helena Galvão, professora voluntária da Organização Internacional Nova Acrópole, os ensinamentos deixados por grandes civilizações contém chaves essenciais que permitem o homem entender e relacionar melhor com a vida.

No último sábado, 29.06, Lúcia Helena esteve em Manaus, onde ministrou a palestra ‘As Leis Universais do Caibalion’, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques. Mais de 600 pessoas prestigiaram o evento.

Baseado nos princípios egípcios conhecido como Leis Herméticas, O Caibalion (Kybalion) é uma palavra que pode ser traduzida como “tradição ou preceito manifestado por um ente de cima”. Trata-se de um ensinamento milenar sobre os princípios de Hermes Trismegistos, tal como ensinado nas escolas herméticas do Antigo Egito e da Grécia.

“O Egito é um símbolo de sabedoria para diversas épocas, pois cultivou um conhecimento sui generis. Era uma civilização que sempre buscou o sentido do que estava fazendo na Terra, o porquê e para onde deveriam caminhar. Para isso, faziam um mapeamento da natureza, que foi sintetizado em sete leis universais. Se aplicada na vida, permite o mínimo de sofrimento, uma vez que está de acordo com as leis do Universo”, afirmou. “Isto permite ao homem encontrar paz de espírito, estar bem consigo mesmo”, completou.

A filósofa lembrou ainda que o cenário de guerras e conflitos existentes hoje podem ser fruto da falta de discernimento da humanidade, que baseia seu valores em interesses próprios em não no bem comum. “O conhecimento é uma riqueza e deve ser destinado ao uso. Honrar as verdades com a prática é o que devemos fazer uma vez que tomamos contato com essas ideias, através da filosofia”, explicou.

Nova turma

Com mais de 30 anos dedicados à filosofia, Lúcia Helena Galvão é professora voluntária de Nova Acrópole, que se dedica ao ensino da filosofia em mais de 50 países. No Brasil, são mais de cem unidades que oferece o Curso de Filosofia à maneira clássica, cuja proposta é levar o aluno a potencializar a ética e por meio do estudo dos ensinamentos de grandes civilizações, além de melhorar as relações humanas.

Em Manaus, uma nova turma está com vagas abertas para o mês de julho. As aulas ocorrem uma vez por semana. Ao longo do curso, que tem duração média de seis meses, o aluno terá a oportunidade de estudar vários pensadores da antiguidade, tanto do Ocidente quanto do Oriente, como Platão, Aristóteles e Confúcio.

A aula inaugural será nesta quarta-feira, 03.07, na sede da Nova Acrópole Manaus, localizada na rua Teresina, nº 75 – Adrianópolis, às 20h. Para participar da aula experimental é preciso fazer a inscrição no site

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe um comentário