Prefeitura de Novo Airão busca resgatar empregos do setor moveleiro

Notícias

O trabalhador de Novo Airão certamente lembra de quando o setor moveleiro e a indústria naval oferecia mais de 400 empregos diretos, além dos indiretos no interior do município. O resgate desses empregos e muitos outros é o desafio que a administração, Frederico Júnior e o vice José Baliza, decidiu enfrentar.

E, a estratégia é o avanço com qualificação profissional e do processo produtivo do setor moveleiro e parceria com a indústria da construção civil do Estado para promover a produção, a venda e geração de empregos e renda.

Com este propósito a Prefeitura de Novo Airão, por meio da Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo, promoveu um encontro de trabalho entre os empresários do setor moveleiro (marcenaria) e uma equipe do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), da Escola Demostenes Travessa da Construção Civil.

A equipe veio ouvir as demandas e perspectivas do setor e avaliar o processo produtivo para poder sugerir cursos de qualificação aos trabalhadores e melhorias técnicas às oficinas visando melhoria da qualidade dos produtos, rapidez, rendimento e redução de custos para que possam se tornar competitivas.

O encontro foi realizado na sede da secretaria Municipal de Turismo, na manhã desta quarta-feira (14 de agosto) e contou com as participações do prefeito Frederico Júnior e do vice José Baliza, além da secretária Suzianne Oliveira, empresários do setor moveleiro, artesões e a equipe do Senai , composta por José Moreira (técnico na área de madeira e moveis) Rosana Rebouças (relações com mercado) e Maria do Carmo (coordenadora pedagógica).

José Moreira explicou que o primeiro passo é conhecer o processo de produção local para identificar o curso apropriado. “Um trabalhador do processo artesanal, diante de maquinário sofisticado poderá enfrentar dificuldades”.

Construção civil importa esquadrias de outros estados

No encontro o técnico do Senai revelou que um prédio (torre), construído em Manaus, em Manaus consome cerca de cinco mil portas e janelas. Material que é importado de outros estados brasileiros. O motivo é o padrão de qualidade exigido pelo mercado.

No entanto, apesar da carência de mão de obra qualificada em Novo Airão, o município dispõe de bons profissionais. Inclusive com premiações em concursos nacionais como o artesão Simião Anhap que já arrematou vários prêmios nacionais. (VER FACEBOOK)

Diante desse quadro, o prefeito Frederico Júnior, durante o encontro de trabalho com a equipe do Senai, anunciou a intenção de firmar uma parceria com o Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas) para alavancar a produção e venda dos produtos do setor moveleiro de Novo Airão. O foco são esquadrias de madeira como janelas e portas, móveis, objetos de uso doméstico e decoração.

“Mas para isso precisamos avançar com a qualificação da mão de obra e melhoria técnica da produção dos pequenos e médios empresários para gerar empregos e renda. A ideia imediata é dobrar a média de empregados nas oficinas. Essa é a saída para resolver o ‘gargalo’, da falta de postos de trabalho, que emperra o desenvolvimento econômico e melhoria da qualidade de vida nos municípios. Esse é o sonho de avanço. Para isso vamos ao encontro das empresas da construção civil”, garante.

A equipe do Senai se prontificou em colaborar para o agendamento de um encontro entre o prefeito Frederico Júnior e os sindicatos de empresários da construção. Também serão elaborados demonstrativos (portfólio) dos produtos do setor moveleiro para serem apresentados nas reuniões.

Menor aprendiz

O desafio para desenvolver o polo moveleiro também inclui a juventude. A proposta sugerida pelo técnico do Senai, José Moreira, foi de criação de um centro de treinamento, no município, voltado para a formação de mão de obra com o menor aprendiz.

Ele explicou que um curso do Senai de qualificação profissional exige uma carga horária mínima de 600 horas e equipamentos sofisticados. Já o centro de treinamento para jovens pode ser implementado com máquinas e ferramentas simples disponíveis pelas próprias oficinas de Novo Airão.

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta