Agricultores de Maués no AM recebem certificação orgânica internacional para o guaraná

Notícias

Agricultores de quatro comunidades do município de Maués receberam a certificação orgânica do guaraná selvagem. A partir de agora as comunidades Nossa Senhora de Nazaré, Brasiléia, Santa Luzia e São Sebastião poderão vender o guaraná no Brasil, Estados Unidos e Europa. Uma conquista resultado do apoio da Universidade Federal do Amazonas.

Afim de valorizar, auxiliar e incentivar a produção local, o Núcleo de Socioeconomia da Universidade Federal do Amazonas (NUSEC-Ufam), em parceria com a Rede de Negócios Sustentáveis do Urupadí (RENESU), trabalha acompanhando e prestando serviço de assistência técnica e extensão rural, a equipe também foi responsável por todo o acompanhamento do processo de certificação.

Para o coordenador técnico do Projeto RENESU, professor Cloves Pereira, o trabalho de escuta e sondagem que aconteceu antes da certificação foi essencial para que o projeto obtivesse sucesso. “Estivemos em 2017 no rio Urupadí, com a finalidade de realizar uma ‘escuta’ dos principais problemas dos agricultores, que resultou na construção participativa do Projeto RENESU. Essa certificação é resultado desse processo que contou com o apoio do CNPq e diversos agentes públicos e privados”, afirmou o docente.

Rede de Negócios Sustentáveis

O projeto Rede de Negócios Sustentáveis do Urupadí (RENESU) apoia a produção, comercialização e consumo sustentável das comunidades tradicionais da região, com o envolvimento direto de empresas organizações governamentais, organizações não-governamentais e movimentos sociais, potencializando alternativas econômicas sustentáveis para garantir a segurança alimentar e renda.

Para a professora Therezinha de Jesus Pinto Fraxe, coordenadora do NUSEC, o apoio na certificação foi importante para que a economia das comunidades tradicionais seja mais valorizada: “Na Amazônia existe a necessidade urgente de desenvolver projetos envolvendo a agroecologia e produção orgânica. A certificação possibilita que comunidades que tenham acesso apenas ao comércio local passem a ter relação comerciais mais amplas, garantido o aumento da renda e a segurança alimentar. A certificação do guaraná é importante para que as comunidades tenham seus produtos valorizados”.

O núcleo de Socioeconomia da Ufam e as comunidades

A NUSEC-Ufam atua em 29 municípios, incluindo a Região Metropolitana de Manaus (RMM), abrangendo 67% do estado do Amazonas. Atualmente, conta com uma equipe multidisciplinar, envolvendo professores e alunos dos cursos de Engenharia Florestal, Engenharia de Pesca, Agronomia, Biologia, Ciências Sociais, História, Administração dentre outros, que desenvolvem trabalhos de ensino, pesquisa e extensão no estado do Amazonas.

 

Fonte – Ufam

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta