Governo do Estado entrega 3 toneladas de ração e aeradores para piscicultores

Notícias

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), entregou, na tarde desta sexta-feira (28/02), insumos para fomentar a piscicultura no Amazonas. Durante solenidade na sede da Secretaria, produtores receberam 135 sacas de ração para peixes, equivalente a 3.375 kg, e 35 aeradores. Ao longo deste ano, mais de 48 mil kg de ração serão distribuídos a outros piscicultores do Estado via editais.

Os insumos entregues pela Sepror, de acordo com o titular da pasta, Petrucio Magalhães Júnior, vão alavancar o setor no Amazonas, que hoje compra pescado de outros estados para suprir a demanda interna.

“Hoje nós ainda consumimos peixes de outras regiões. Consumimos peixe de Rondônia, Roraima e Acre, mas, certamente, a nossa meta é sermos autossuficientes, produzir para atender o nosso mercado, que é muito grande. Sem dúvida, a piscicultura e a pesca são prioridades no governo Wilson Lima e a entrega de rações e aeradores que estão sendo oferecidos pela ADS para esses piscicultores poderem melhorar a produtividade do cultivo de peixes”, disse o secretário de Produção Rural. Os insumos somam R$ 500 mil disponibilizadas em emendas impositivas parlamentares.

Em todo o Estado, 3,5 mil piscicultores trabalham na atividade que produziu 25 mil toneladas de pescado em 2019. O secretário Executivo de Pesca e Aquicultura (Sepa), da Sepror, Leocy Cutrim, reforçou que os investimentos geram retorno econômico nos municípios.

“Isso é um incentivo que se dá ao piscicultor, porque antes não tinha esse fomento. Cada vez que o produtor se sente animado a produzir, pode ter certeza que ele vai dar a resposta através da sua produção, e esse é um dos nossos objetivos: tentar alavancar a produção e fazer com que o nosso piscicultor tenha retorno econômico através da sua produção. Nós vamos atender vários municípios, como Manaus, Manacapuru, Rio Preto da Eva, Coari, Codajás, entre outros que participaram desse edital de credenciamento de ração”, afirmou Cutrim.

Contemplados – Entre os produtores beneficiados, a piscicultora Maria Auxiliadora Ferreira recebeu 45 sacas de ração. Há 12 anos trabalhando no ramo, ela cria 15 mil tambaqui.

“A ração é um dos maiores entraves, ela é muito cara e é o sustento do peixe. Conseguir custeio para isso é muito demorado, é muito burocrático e o peixe come todos os dias. Se ele não comer, ele não cresce. Se ele não crescer, ele não dará lucro. Aí não tem como avançar”, relata.

O piscicultor Cauê Cassol, que se dedica à atividade há oito anos no Careiro Castanho, também recebeu 45 sacas de ração.

“Desde 2012, nós começamos a produzir tambaqui, principalmente tambaqui curumim, que é o tambaqui de 400g a 1kg, que é o peixe que gira mais rápido e desenvolve mais rápido. Vamos receber 45 sacos de ração de 28% de proteína. É muito útil essa ração, a gente vai usar para umas duas semanas. A gente tem muita dificuldade de produzir tambaqui e outros peixes, é um alento pra melhorar a produção e nos ajudar”.

Aeradores – Além das 135 sacas de ração, produtores receberam 35 aeradores, maquinário que aumenta a oxigenação da água e aumenta a produtividade da piscicultura. Os aparelhos foram vendidos com até 80% de desconto por meio do Edital de Doação Onerosa da ADS. O edital, que está aberto desde novembro de 2019 e já beneficiou 179 piscicultores, está disponível no site da agência.

Pós-larvas e alevinos – Como parte de investimentos na piscicultura, a Sepror distribuiu, no ano passado, um total de 2,4 milhão de pós-larvas, atendendo 530 piscicultores. Também foram distribuídos 890 mil alevinos, beneficiando 320 piscicultores de 14 municípios. Através de cursos de Boas Práticas de Manejo e Gestão, a pasta capacitou 317 piscicultores.

 

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta