ONG promove oficinas de cooperativismo em comunidades do Marajó

Notícias

Moradores das Reservas Extrativistas Arióca Pruanã, Mapuá e Terra Grande Pracuúba, localizadas na região do Marajó, participaram, entre os dias 3 de fevereiro a 7 e março, da primeira etapa de oficinas para o fortalecimento das organizações locais. As atividades, promovidas pela ONG Instituto Floresta Tropical (IFT), têm como objetivo apoiar o desenvolvimento e o aprimoramento de modelos de manejo florestal comunitário e familiar nas três Unidades de Conservação atendidas pelo programa Florestas Comunitárias.

Seguindo o plano de trabalho, definido pelas próprias lideranças agroextrativistas, a primeira rodada de oficinas destacou o associativismo e cooperativismo como ferramentas para o fortalecimento comunitário. As atividades foram acompanhadas pelos técnicos florestais do IFT e ministradas pela equipe técnica do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), entidade responsável pela facilitação da oficina e execução do plano de trabalho.

De acordo com Marcelo Galdino, coordenador do programa Florestas Comunitárias, a oficinas atendem aos anseios das lideranças locais das Resex e são fundamentais para a construção de conhecimentos sobre a viabilidade de empreendimentos florestais.

“As atividades visam garantir que tanto as cooperativas como as associações sejam fundadas apenas se houver viabilidade administrativa e organizacional comunitária. A nossa finalidade é compartilhar conhecimentos, diminuir as dúvidas e, principalmente, empoderar e fortalecer essas comunidades”, explica Galdino.

Durante a capacitação foram utilizadas metodologias participativas como rodas de conversas e dinâmicas reflexivas sobre o processo de associação e cooperação em comunidades tradicionais.

“O objetivo da metodologia colaborativa é encorajar e incentivar a participação de toda a comunidade na construção e fortalecimento da organização social. A ideia é mostrar o quanto o associativismo e cooperativismo sãos instrumentos imprescindíveis para que uma comunidade passe a ter, de fato, maior expressão econômica e social”, destaca Allison Castilho, um dos facilitadores da oficina.

Fortalecimento das Organizações Sociais

As atividades contaram com a participação de 112 manejadores florestais, incluindo representantes da Associação dos Moradores da Resex do Mapuá (AMOREMA) e da Cooperativa de Produtores Agroextrativistas dos rios Aramã e Mapuá (COAMA).

“A iniciativa do IFT foi um importante momento de aprendizado para os produtores locais e, além disso, uma excelente oportunidade para que sócios e cooperados na nossa Resex entendam os seus direitos e deveres enquanto integrantes dessas organizações sociais”, ressalta Michele Marques, presidente da COAMA.

 

 

Fonte – Rede Pará

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta