Inpa disponibiliza cartilha sobre defensivos naturais para controle de pragas e doenças

Notícias

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) disponibilizou on-line a cartilha Defensivos naturais: manejo alternativo para pragas e doenças, que é resultado de dois projetos de extensão com produtores familiares do Amazonas. O objetivo da capacitação dos agricultores foi incrementar a produção de alimentos mais saudáveis em sistemas mais sustentáveis.

A cartilha foi elaborada a partir das Oficinas de Capacitação em Agricultura Orgânicas para Produtores Familiares, focadas em práticas agroecológicas de uso, manejo, conservação do solo e agricultura orgânica. Foram realizadas nos anos de 2017 e 2018, com mais de 2 mil produtores, em especial assentados da reforma agrária, ribeirinhos e indígenas.

O Brasil é o país que mais usa agrotóxico no mundo. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer, cada brasileiro consome cinco litros de agrotóxico por ano. “No Amazonas, o agrotóxico também é fortemente utilizado, principalmente no cultivo de hortaliças, que se tornam mais suscetíveis ao aparecimento pragas e doenças em decorrência das condições de clima quente e úmido da Amazônia”, explicou a pesquisadora do Inpa, a agrônoma Sônia Alfaia.

Com a publicação da cartilha, espera-se ajudar os agricultores do Amazonas a diminuir o uso de agrotóxico nos seus cultivos. Segundo Alfaia, a publicação deverá ser impressa e distribuída para os agricultores por meio dos 62 escritórios do IDAM, que foi parceiros das oficinas realizadas nos diversos municípios do Amazonas.

Além de Alfaia, são autores da cartilha Defensivos naturais Marta Iria da Costa Ayres, Reinaldo José Alvarez Puente, José Guedes Fernandes Neto e Katell Uguen. Simples e prática, a publicação traz informações sobre o que são os defensivos agrícolas, os biofertilizantes – uma alternativa aos fertilizantes químicos que ajudam a manter a planta nutrida e hidratada – e receitas de biofertilizantes, nas quais são usados materiais disponíveis na propriedade e muitas vezes desperdiçados ou mal utilizados, como esterco bovino, folhas verdes de ingá, embaúba, urucum e cinzas.

A cartilha também traz receitas para controle de pragas e doenças, como usar o macerado de samambaia no controle de cochonilhas (insetos sugadores que transmitem vírus causadores da murcha no abacaxizeiro) e preparado de babosa para pulverizar em pulgões, pragas que atacam a couve e outras hortaliças.

Também é destacada na cartilha a proteção de hortas orgânicas, com dicas de plantas repelentes ou atrativas a serem plantadas próximas ou ao redor do cultivo e que atuarão como barreiras contra pragas e doenças. Entre elas estão a alfavaca, que repele moscas e mosquitos, mas não deve ser plantada perto de arruda, e mastruz que repele pulgões e outros insetos.

Conforme Alfaia, a publicação foi elaborada para os participantes das Oficinas, que foram ministradas usando um enfoque participativo, com o objetivo de trabalhar a partir da experiência e conhecimento dos agricultores. “A cartilha integra o conhecimento tradicional e o conhecimento científico gerados no Inpa e em outras instituições de pesquisas, principalmente na Universidade José Martí Pérez de Sancti Spiritus de Cuba, que foi parceira nos cursos de capacitação, por meio do prof. Dr. Reinaldo Puente, um dos autores da cartilha”, explicou.

Cartilhas

Três cartilhas publicadas compõem essa série: Princípios agroecológicos para o manejo ecológico do solo e a saúde das áreas produtivas, Compostagem e Defensivos naturais: manejo alternativo para pragas e doenças. Em breve sairá a quarta cartilha, que tratará sobre Manejo do bananal com ênfase na produção de mudas a partir do fracionamento do rizoma.

As cartilhas são produtos dos projetos de extensão do Inpa, intitulados “Implantação de Unidade Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia” (IUDAA/Inpa), com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), sob a coordenação de Denise Gutierrez, titular da Coordenação de Tecnologia Social (Cotes/Coext), e “Feirão do Produtor Rural, com financiamento da SECIS/MCTI, sob a coordenação da pesquisadora Sonia Alfaia.

De acordo com Alfaia, os temas discutidos durante as oficinas e distribuídos inicialmente aos participantes, em forma de apostilas, foram transformados em cartilhas, visando fornecer ao produtor rural, informações detalhadas sobre cada tema, numa linguagem simples e compreensiva.

Além dessas cartilhas, estão disponíveis no repositório Institucional outras produções recentes, produtos do projeto IUDAA: Cultura da pupunha: cultivo e beneficiamento e Hortaliças não convencionais: preparo e tabela nutricional.

Saiba Mais

Os defensivos naturais são fertilizantes alternativos aos produtos químicos e preparados a partir de substâncias não prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente, que favorecem a produção de alimentos mais saudáveis para o consumidor final. Os agentes de biocontrole, os diversos biofertilizantes líquidos, as caldas, os feromônios, os extratos de plantas e óleos são defensivos naturais que possuem baixa ou nenhuma toxicidade ao homem e a natureza; são eficientes no combate aos insetos e microrganismos nocivos, têm boa disponibilidade e custo reduzido.

Repositório Digital – acesse as cartilhas:

1.Princípios agroecológicos para o manejo ecológico do solo e a saúde das áreas produtivas: cartilha para produtores rurais

2. Compostagem

3. Defensivos naturais: manejo alternativo para pragas e doenças

4. Cultura da pupunha – cultivo e beneficiamento

5. Hortaliças não convencionais- sugestões de preparo e tabela nutricional

 

 

Fonte – Inpa

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta