Idam coordena fórum que discute o potencial de Indicação Geográfica dos queijos de Autazes

Notícias

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) coordenou no final de setembro o Fórum Amazonense de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas em Autazes (a 108 quilômetros de Manaus). O evento teve como objetivo avaliar o potencial de Indicação Geográfica (IG) dos queijos de Autazes e foi realizado em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AM) e o Instituto Inovates. Na ocasião, os consultores responsáveis pela avaliação concluíram que os queijos de Autazes têm forte potencial e recomendaram que se inicie o processo de estruturação desta IG em potencial.

Na avaliação do diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, esta é uma boa oportunidade para se buscar o selo de Indicação Geográfica do queijo de Autazes, que será um prêmio à cultura de um povo que, ao longo dos anos, vem praticando essa atividade. “Naturalmente que os tempos e as exigências são outros, questão sanitária tolerância zero, questão da água, de resíduos, tudo isso já vem sendo orientado e incentivado pelo Idam, bem como todo o Sistema Sepror. Nós apoiamos esse processo integralmente e prestigiamos a região, dando continuidade a uma atividade intensa de geração de renda e ocupação”, acrescentou.

“O queijo coalho de Autazes é uma marca do município, reconhecida em todo o estado do Amazonas. É um queijo feito de forma artesanal, familiar e que gera emprego e renda”, afirmou o gerente da unidade local do Idam, Josinei Lima. Ainda segundo o gerente, o diagnóstico positivo é o primeiro passo para que esses produtos possam buscar o reconhecimento de Indicação Geográfica junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). “Esse reconhecimento vem coroar o trabalho feito por vários produtores que, ao longo do tempo, têm aperfeiçoado e melhorado cada vez mais o produto”, concluiu ele.

O registro de Indicação Geográfica é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de distingui-los em relação aos seus similares disponíveis no mercado. Estes produtos apresentam qualidades únicas por conta do solo, vegetação, clima e técnicas utilizadas. A aquisição do Selo de Indicação Geográfica irá destacar a qualidade do queijo coalho tradicional de Autazes, que fez do município referência na produção de queijos, colocando-o na posição de uma origem especial.

A estratégia de proteção de produtos e produtores amazonenses por meio de reconhecimento de Indicações Geográficas, além de destacar atividades produtivas do Amazonas nos cenários nacional e internacional, valoriza a identidade e cultura do estado, culminando em significativos aumentos de ganhos aos produtores e à sociedade como um todo.

 

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta