Projeto-piloto PRAVALER é apresentado a produtores rurais de Boca do Acre

Notícias

Em evento híbrido, realizado nesta quarta-feira (30/06), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Serviço Florestal Brasileiro (SFB) e a Agência de Cooperação Alemã (GIZ), junto com os demais parceiros regionais, lançaram o projeto-piloto PRAVALER oficialmente para os produtores rurais de Boca do Acre, município do sul do Amazonas (1.554,4 km de Manaus), que foram selecionados após análises prévias dos seus Cadastros Ambientais Rurais (CARs) e de visitas técnicas realizadas pelo SENAR-AR/AM e IDAM.

Na abertura do evento online, o vice-presidente da CNA e presidente do sistema Faea Senar Fundepec/AM, Muni Lourenço, falou sobre a satisfação de ver o trabalho de planejamento, que começou em 2019, sendo colocado em prática e de ter o Amazonas como anfitrião do projeto-piloto. “Começar a implementação em campo é uma imensa satisfação. Sabemos que não é fácil, pois um projeto dessa envergadura demanda recursos, pessoal técnico envolvido e uma série de definições”.

Muni reforçou a ideia de que não há antagonismo entre produção e preservação. E avalia que o PRAVALER vai ser um grande divisor de águas, tendo potencial de impactar positivamente em nível regional, nacional e até internacional pela convergência entre produtividade e sustentabilidade.

“Várias iniciativas vêm mostrando o interesse do Brasil na conciliação da produção e sustentabilidade, tais como a plataforma de análise dinamizada – o Sistema CAR, o programa ABC Cerrado, do Mapa, e agora o PRAVALER, no coração da Amazônia, no Sul do Amazonas. Vamos escrever um belo capítulo na história do desenvolvimento sustentável e da produção de alimentos no Brasil”, defende.

BOCA DO ACRE – PRODUTORES EM FOCO

Presencialmente em Boca do Acre, participaram da cerimônia de lançamento do PRAVALER os 60 produtores rurais selecionados para receber assistência técnica do Senar e do IDAM, além do prefeito de Boca do Acre, José Maria Silva da Cruz, do presidente do sindicato rural de Boca do Acre, Dilermando Lima e do presidente do IDAM, Valdenor Cardoso.

Na sede do Sindicato Rural, os produtores conheceram em detalhes o projeto e como vai funcionar a assistência técnica e Gerencial oferecida pelo Senar Amazonas, a assistência técnica oferecida pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM) e as orientações referentes às questões ambientais que serão fornecidas por ambas as instituições com o apoio de uma equipe de supervisão ambiental que será treinada e oferecida pelo PRAVALER.

O agricultor Elcio Gomes de Oliveira falou da expectativa com o projeto e se disse confiante com a oportunidade. “Pela primeira vez tem alguém olhando pra nós. Então, temos de torcer para que dê certo. Às vezes, a gente pensa que não vai dar certo. Mas temos de fazer a nossa parte também”. E defendeu a iniciativa por parte dos produtores rurais de contribuírem para o sucesso do PRAVALER. “A gente tem de se unir. Em breve, espero estarmos aqui para mostrar o que foi feito”, disse.

O prefeito de Boca do Acre, José Cruz, em seu pronunciamento, enfatizou a importância das parcerias e acordos de cooperação técnica que favorecem o município e beneficiam o agronegócio da região. “Temos parceiros de longa data e que permitem levar aos produtores rurais ações de apoio e humanitárias, inclusive nesse momento de subida dos rios Purus e Acre, em que os proprietários acumulam perdas, comentou”.

Já, o presidente do sindicato rural do município, Dilermando Lima manifestou seu agradecimento à FAEA pelo apoio e também incentivo e pela escolha para sediar o projeto-piloto. “Boca do Acre é um município pujante na pecuária e agricultura, mas precisamos deste incentivo na questão ambiental, que é um desafio para os produtores e para a região sul do Amazonas”.

Culminando com a assinatura de Termo de Adesão, todos os produtores e entidades celebraram a realização deste importante marco.

CONVERGÊNCIA, PARCERIA E REALIZAÇÃO

Demonstrando um sentimento de empolgação por ver o avanço do projeto, a coordenadora executiva do Projeto Biomas na CNA e representante da CNA na coordenação nacional do PRAVALER, Cláudia Mendes, explicou como se deu a formação do grupo de trabalho, formado por doze (12) entidades parceiras, que unem seus conhecimentos para apoiar os produtores rurais no desafio de adequação ambiental, em conformidade com os requisitos legais e normativos aplicáveis.

O projeto PRAVALER é uma iniciativa que vai mostrar ao produtor, na prática, como alcançar a regularização ambiental prevista no Código Florestal Brasileiro. Com base numa sólida parceria de mais de 10 anos de pesquisa científica, Cláudia enfatiza que todo esse conhecimento vai ser materializado em ações práticas para benefício do produtor rural.

“O que nos trouxe até aqui foi uma parceria de quando a CNA se juntou à Embrapa para desenvolver o Projeto Biomas, que se propunha a pesquisar soluções para o produtor rural se adequar ambientalmente atendendo a uma rigorosa legislação que estabelece, por exemplo, a necessidade de manter em sua propriedade, APPs e ARLs. O Projeto Biomas contribuiu com soluções técnicas para ajudar o produtor em sua adequação ambiental e produtiva e espera contribuir muito com a aplicação do Código Florestal Brasileiro (Lei de proteção da vegetação nativa”, relembra.

Para Taiguara Alencar, da Agência de Cooperação Alemã (GIZ), o projeto traz uma nova abordagem e forma de pensar um desafio antigo e tão complexo como a regularização ambiental. E a novidade, na opinião dele, é o diálogo frequente e permanente, a convergência de instituições para trabalhar as questões que afligem os produtores.

Com uma fala emocionante, Alencar traduziu seu sentimento de orgulho por fazer parte de um projeto pioneiro. “Quando a coisa é séria, nada escapa, nada foge, não fica pra trás. Tem de ser ‘PRAVALER’. Quando fica forte, tudo se resolve, mesmo o mais difícil, porque é ‘PRAVALER’. Agora, vai acontecer, não tem mais volta”, declarou.

Jaine Cubas, por sua vez, destacou a expertise do Serviço Florestal Brasileiro e o apoio dado aos estados na política de regularização ambiental. No PRAVALER, especificamente, a entidade fará um apoio consultivo de pós-análise das informações do CAR, de como viabilizar que o proprietário possuidor acesse essa política.

Jacson Negreiros, da Embrapa Acre, reforçou a importância das parcerias que beneficiam quem realmente é o protagonista deste projeto-piloto, que é o produtor rural, e citou as iniciativas que vêm sendo realizadas pela instituição na parte de regularização ambiental, com uso de tecnologias, que podem ser utilizadas pelos produtores. “A Embrapa renovou um Acordo de Cooperação Técnica com a Prefeitura, pelos próximos 4 anos, para o levantamento do solo na escala de 1 a 100 mil, que poucos municípios possuem”, comentou.

PARCEIROS REGIONAIS – A execução do projeto-piloto é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) assinado entre a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (FAEA), Serviço de Aprendizagem Rural (Senar-AR/AM), Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (SEMA), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM) e pela Prefeitura de Boca do Acre.

Eduardo Taveira, secretário da SEMA, reforçou que é possível encontrar os caminhos necessários para aumentar a produção e melhorar a vida do produtor, fazendo isso com respeito à Amazônia.

Representantes de todas as entidades participaram do evento, ou de forma remota ou presencial, e se pronunciaram em relação às vantagens de fazerem parte do projeto. As atividades de assistência técnica terão início a partir deste mês de julho.

 

Fonte – Senar

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta