Cooperados são finalistas em concurso nacional de qualidade de cacau especial

Notícias

O III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau Especial do Brasil é uma importante iniciativa que busca fortalecer a cacauicultura brasileira, valorizando e reconhecendo produtores que fazem um trabalho diferenciado. Nas duas categorias do concurso estão presentes cooperados de cooperativas paraenses. São finalistas os produtores: Gilmar Batista De Souza (COOPOAM) José Antonio De Oliveira (COOPERCAU), Hélia Félix De Moura (COOPATRANS/CACAWAY) e Ademir Venturin (COOPATRANS/CACAWAY). A divulgação final dos resultados ocorre no dia 22 de novembro.

O concurso é uma iniciativa conjunta da cadeia produtiva do cacau e executado pelo Centro de Inovação do Cacau (CIC) em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC). Em sua terceira edição, o concurso visa estimular e promover a excelência da produção de cacau no Brasil em todas as suas etapas, divulgando o fruto a partir dos chocolates especiais.

No total, o concurso conta com duas categorias, a Blend, que consiste na análise de um produto com várias espécies de cacau, e a Varietal, que consiste na análise de produtos com uma única espécie de cacau.

Destacamos a participação do produtor José Antônio De Oliveira que está como finalista em ambas as categorias. “Fico muito feliz em ser um dos finalistas do concurso, pois é muito gratificante ver o meu trabalho e dos meus parceiros sendo reconhecido por sua qualidade e responsabilidade. Então, temos a expectativa de obter resultados positivos, mas independente do resultado, já me sinto um vencedor por ter chegado nessa posição”, afirma José Antônio De Oliveira, cooperado da COOPERCAU.

Para selecionar os seus finalistas, a comissão do concurso analisou o total de 94 amostras, sendo 66 blends e 28 varietais. Após as análises físico-químicas e sensoriais das amêndoas de cacau não torradas, além da averiguação inicial dos questionários respondidos, foram definidos 12 finalistas para a categoria Blend e 10 finalistas na categoria Varietal.

“É com muita alegria que recebemos a notícia de que um dos cooperados da COOPERCAU está entre os finalistas do concurso. Isso é importante em diversos sentidos, tanto para a valorização do produtor em si, como também para a valorização do município e do estado na produção cacaueira. Participando de concursos como este, realiza-se o fortalecimento dos produtores para produzir a cada dia um cacau de maior qualidade”, declara Antônio Queiroz, presidente da COOPERCAU.

Além da Cooperativa De Reflorestamento E Bioenergia Da Amazônia (COOPERCAU), a Cooperativa de Produtos Orgânicos da Amazônia (COOPOAM) também está representada no concurso por Gilmar Batista De Souza, na categoria Varietal.

Já a categoria Blend conta com Hélia Félix De Moura e Ademir Venturin da COOPATRANS/CACAWAY. A cooperativa sempre busca incentivar os seus cooperados a produzirem uma amêndoa de qualidade, além de submeter as amêndoas para diversos concursos para atestar o valor do cacau que é produzido.

“Tendo dois finalistas no concurso conseguimos o reconhecimento de que nós fazemos uma amêndoa de qualidade. Para chegarmos aqui, o apoio da cooperativa e do Sistema OCB/PA foram fundamentais. Dessa forma, a cooperativa atua buscando agregar valor à produção de amêndoas de qualidade, enquanto que a OCB/PA atua proporcionando todo um suporte, seja com cursos, palestras e até mesmo incentivos para participação em eventos. Tudo isso nos incentiva a impulsionar a qualidade do nosso trabalho e consequentemente concorrer a concursos tanto nacionais quanto internacionais”, destaca Hélia Félix De Moura, responsável técnica da COOPATRANS.

Além do III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau Especial do Brasil, Hélia também participou do Prêmio CNA Brasil Artesanal 2021 – Edição Chocolate, no qual conquistou a sétima colocação, levando o sabor único e exclusivo do chocolate que é produzido no município considerado a Capital Nacional do cacau, Medicilândia-PA, para todo o Brasil.

“O setor de produção de cacau vem sendo, nos últimos anos, um dos mais importantes para o estado do Pará, de forma que o estado é o maior produtor do fruto no país. A partir disso, temos importantes cooperativas que atuam na produção de cacau, e ter produtores que atuam em cooperativas sendo reconhecidos por um concurso nacional é muito relevante para a produção cacaueira do estado e para o cooperativismo paraense”, destaca Ernandes Raiol presidente do Sistema OCB/PA.

 

Fonte – OCB/PA

Foto – Divulgação

 

Deixe uma resposta