Professores são os grandes protagonistas das Cooperativas Educacionais

Notícias

Professores, a profissão presente em todas as profissões. É a única capaz de permear todos os segmentos e estar em todos os mercados. No cooperativismo, ganham ainda mais destaque, participando ativamente como donos do negócio. No Pará, as cooperativas congregam mais de 200 cooperados nos municípios de Castanhal, Santarém, Belterra, Monte Alegre, Tucuruí e Belém.

As cooperativas educacionais visam contribuir com uma formação de cidadãos mais atuantes e cooperativistas. Algumas delas aplicam metodologias exclusivas do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP), como o Programa Cooperjovem, voltado para a educação cooperativista de crianças do ensino Fundamental.

As cooperativas deste ramo surgiram como alternativa às deficiências do ensino público e às altas mensalidades do ensino privado. A primeira experiência brasileira e latino-americana de cooperativismo na educação foi em 1948, com a fundação, por professores, das Escolas Reunidas Cooperativa Ltda., em Belo Horizonte (MG). O reconhecimento do ramo, porém, ocorreu décadas mais tarde, em 1987, com a criação da Cooperativa de Ensino de Itumbiara (CEI), mantenedora do Colégio Cora Coralina. Até meados da década de 1980, existiam apenas onze cooperativas educacionais no Brasil.

A grande expansão do segmento só começou na década de 1990, quando foram abertas mais de oitenta novas escolas cooperativas em todo o Brasil. A explosão foi um reflexo da queda da qualidade do ensino público e dos altos preços cobrados no setor privado e da baixa remuneração aos professores. Incomodados com isso, pais, professores e estudantes viram no cooperativismo a melhor solução para tornar a educação menos onerosa e mais comprometida com o desenvolvimento da sociedade, resgatando a cidadania plena de todos os envolvidos.

No Pará temos cooperativas educacionais nos municípios de: Santarém: COOPSÓSTENES, CATARINA HUBER, COOPERATALAIA; Belterra: COOPERATIVA HENRY FORD; Castanhal: CEAC; Monte Alegre: COMEC; Tucuruí: COOPERIET; Belém: COEDA.

“A educação se faz com professores, sem eles, nada disso seria possível. Nossa homenagem para esse Dia tão importante e singular para todo o cooperativismo educacional. Ainda mais diante de todo este cenário, em que os desafios estão muito maiores. Ser professor hoje e em uma cooperativa é mais que um trabalho, é uma missão de vida”, declara Ernandes Raiol, presidente do Sistema OCB/PA.

 

Fonte – OCB/PA

Foto – Divulgação

Deixe um comentário