Idam recomenda cobertura do solo para minimizar perdas de produção agrícola em função da forte estiagem

Notícias

Como alternativa para minimizar os efeitos climáticos da estiagem na agricultura, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) recomenda aos produtores rurais a adoção de medidas conservacionistas de solo nas lavouras. Dentre os benefícios, a prática previne a desidratação das plantas, o que pode ocasionar o aborto dos frutos e perdas na produção devido ao calor e a diminuição das chuvas.

A cobertura de solo é apontada pelo engenheiro agrônomo do Idam, Antônio Joaquim Oliveira, como a técnica mais importante para preservação da umidade na lavoura e, consequente, a minimização dos efeitos da estiagem. Além disso, a cobertura ajuda a proteger os plantios de pragas, invasoras, perda de solo, evapotranspiração, entre outros problemas que prejudicam a produção rural.

“O solo nunca deve ficar descoberto e, para isso, o agricultor pode usar vários tipos de cobertura vegetal, sendo morta ou viva. O cultivo intercalado de culturas de ciclo curto e longo também é uma alternativa para proteger o solo”, explicou Oliveira, durante uma visita à Unidade Demonstrativa (UD) de Citros do Idam, em Iranduba (a 27 quilômetros da capital).

Cobertura vegetal

Na UD é desenvolvido o cultivo de intercalado de duas culturas, sendo uma de ciclo longo, a laranja, e outra de ciclo curto, a macaxeira. Após a colheita deste ano, o cultivo da raiz será substituído por outra técnica de cobertura de solo com objetivo de priorizar o desenvolvimento da cultura principal, a laranja.

A cobertura vegetal pode ser feita com diversas cultivares, como braquiária, amendoim forrageiro e estilosante campo grande, entre outras. A planta atua como um aliado ao cultivo e tem o objetivo de manter as características físicas e químicas do solo, melhorar a infiltração de água da chuva (ou de irrigação), manter a umidade do solo, prevenir erosões e hidratar as plantas.

“Também temos o uso de cobertura morta, na qual é feita a roçagem nas entrelinhas do cultivo e esse material é colocado em volta da cultura, com uma distância de 30 centímetros. O agricultor deve estar atento sempre para fazer a roçagem no final do inverno, pois, no verão, não se deve mexer no solo”, advertiu.

Assistência Técnica

“É importante reforçar que o solo nunca deve ficar desprotegido porque a cobertura minimiza os efeitos climáticos”, destacou o engenheiro ao reforçar que todas essas medidas são auxiliares e podem ser realizadas sob instrução de um técnico do Idam.

Para orientar os agricultores sobre as técnicas adequadas para cada plantio, o instituto oferece Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) por meio de 75 Unidades Locais (UnLoc) e Postos Avançados, em todos os municípios amazonenses, e reforça que o atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

 

Fonte – Agência Amazonas

Foto – Divulgação

Deixe um comentário