Adaf incrementou ações de defesa agropecuária e inspeção no Amazonas

Notícias

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), contribuiu ao longo dos 100 primeiros dias da administração do governador Wilson Lima, incrementando as ações de defesa agropecuária e inspeção no Amazonas. A Adaf tem como missão promover a sanidade animal e vegetal do Estado, assegurando a preservação do patrimônio agropecuário, a saúde pública e o meio ambiente.

“Atendendo a determinação do governador, a Adaf tem intensificado a fiscalização de eventos agropecuários, trânsito de animais, vegetais, produtos e subprodutos, no sentido de promover a sanidade animal e vegetal, além de garantir a segurança alimentar da população não só do Amazonas, como também do país”, destacou o diretor presidente da Adaf, Alexandre Araújo.

Ações – Entre as ações relevantes relacionados à defesa agropecuária, o Governo do Amazonas, por meio da Adaf, repactuou o compromisso do avanço do estado em relação à erradicação da Febre Aftosa junto ao Governo Federal, através do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em referência ao Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre da Aftosa (PNEFA 2017- 2026), que prevê a retirada gradativa da vacina contra a febre aftosa no país.

Outras ações de destaque incluem a reativação da Barreira de Vigilância Agropecuária (BVA) do Jundiá, em Roraima, para a fiscalização do trânsito interestadual de vegetais e suas partes, produtos de origem animal e subprodutos; a implementação da vigilância fitossanitária, visando a prevenção de pragas como a mosca da carambola, cancro cítrico, cancro da videira, ácaro hindustânico e Anthonomus tomentosus; fortalecimento de parcerias com instituições e órgãos representativos, entre eles o Sistema Sepror, a Superintendência Federal de Agricultura no Amazonas (SFA-AM), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Fundação de Vigilância Sanitária (FVS), Fundo de Defesa Agropecuária do Amazonas (Fundepec), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM), o Conselho Regional Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV-AM) e as agências estaduais.

Recentemente, a entidade lançou também o AdafOuv para estabelecer um canal de comunicação com a sociedade. “Tivemos também o registro de quatro novos estabelecimentos no serviço de inspeção do Amazonas, sendo um abatedouro frigorífico de suínos, duas granjas avícolas e uma fábrica de laticínios”, comentou Araújo.

De acordo com a Adaf, o Amazonas vacinará o rebanho bovino e bubalino contra febre aftosa em 13 municípios do sul e sudoeste do estado pela última vez em novembro de 2019. Um plano de ação construído pela entidade e aprovado pelo Mapa inclui metas para este novo processo. Entre elas consta o fortalecimento da Adaf, que hoje atua em 52 municípios através das Unidades Locais Veterinárias de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAV) e os Escritórios de Atendimento à Comunidade (EAC).

Além da BVA, em Roraima, Parintins e Manaus, outras três serão implementadas em Novo Aripuanã, Apuí e Careiro ainda este ano, para assim intensificar o trabalho de fiscalização para coibir a entrada de pragas e doenças que comprometem a sanidade vegetal e animal do estado.

Apreensões – Só neste ano, 6.618 abordagens e 862 procedimentos de exame e análise de documentação fitossanitária foram realizadas. Ao todo, 87 cargas abordadas não possuíam documentação fitossanitária, o que resultou em 1,322 toneladas de cargas de origem vegetal irregulares apreendidas.

Produtos de origem animal – Já nas indústrias com o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) foram inspecionados 16.659 bovinos e bubalinos e 500 suínos, assim como 642.419,40 quilos de pescado; 215.021 caixas com 360 unidades de ovos; 580.692,9 litros de iogurte; 129.943,9 quilos de queijo; 5.373.438,80 quilos de produtos cárneos; entre outros, produzidos sob a responsabilidade da Adaf.

Fonte – Secom

Foto – Divulgação