CNA esforça-se para que a assistência técnica volte a ser financiada pelo crédito rural

Notícias

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vai enviar um documento para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reforçando a importância da assistência técnica para o produtor rural e pedindo o retorno do financiamento do insumo com recursos do crédito rural.

A CNA tomou a decisão em conjunto com outras entidades do setor nesta quarta (15), durante reunião do Núcleo de Execução sobre Assistência Técnica, que tratou das ações que serão feitas para reverter a questão a curto, médio e longo prazo.

“A assistência técnica é de suma importância para nosso produtor, para a gestão da propriedade dele e hoje tivemos como encaminhamento um documento que será entregue ao Ministério da Agricultura na próxima semana, mostrando porque a assistência técnica deve estar vinculada ao crédito rural com juros controlados”, afirmou o presidente em exercício da Comissão Nacional de Política Agrícola da CNA, Pedro Loyola.

Em julho, o governo retirou do Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019 a possibilidade de financiamento da assistência técnica para a próxima safra.

“A posição que o governo nos colocou, de retirar do manual de crédito rural a assistência técnica, está trazendo uma série de dificuldade para os produtores. Por isso, esse documento será assinado pelas entidades nacionais pedindo que o governo tenha sensibilidade e retorne a assistência técnica como item financiável do crédito rural”, ressaltou Loyola.

O presidente da Associação das Empresas de Assistência Técnica do Mato Grosso do Sul, Juliano Pizzatto, acredita que o insumo é um dos mais importantes para a atividade rural porque ajuda o produtor nas tomadas de decisão.

“O assistente técnico está presente desde a tomada de decisão, o planejamento da atividade, até o produto entregue no armazém. A assistência técnica é o pilar fundamental do resultado que vemos hoje no agronegócio com o crédito rural.”

Outro item da pauta foi a criação de um conjunto de propostas para melhorar a qualidade da assistência técnica no país com a participação de entidades como Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), Conselho Federal de Médicos Veterinários, Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

“Essa parceria tende a ser muito profícua. Vai fortalecer o setor e as solicitações de ambas as partes. Nós acreditamos que isso, politicamente, vai trazer vários ganhos para a questão do financiamento tanto público quanto privado”, destacou Mariana Matias, diretora executiva da Asbraer.

O vice-presidente da CNA e presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas, Muni Lourenço, afirmou que o assunto tem sido colocado como prioridade da casa.

“A CNA encaminhou em julho um ofício para o Ministério da Agricultura e para o Ministério da Fazenda pleiteando retorno da possiblidade de financiamento com juros controlados para elaboração de projetos e prestação do serviço de assistência técnica. Além disso, houve reuniões com tratativas na direção de que isso seja revertido, porque a CNA está preocupada e quer que isso se resolva o quanto antes.”

Fonte – CNA/Senar

Foto – Divulgação