Cooperativismo – gerando trabalho e emprego

Notícias

“Não me vejo fora da cooperativa. Hoje, consigo conciliar meu sonho (a pedagogia) com meu amor (o cooperativismo).” Cheia de entusiasmo ao falar de sua vida profissional, a jovem pedagoga, Jaquelina Lacerda de Moura, conta que se sente preparada para o mercado de trabalho, graças aos princípios e valores do cooperativismo – vividos na prática ao longo de seus oito anos na Cooperativa de Ensino de Língua Estrangeira Moderna (Cooplem), localizada em Brasília-DF.

“Quando cheguei aqui, tinha apenas 14 anos. Era uma menina! A cooperativa me ajudou a contribuir com a melhoria da qualidade de vida da minha família. Comecei como menor aprendiz, depois me tornei estagiária e, agora, trabalho na secretaria da unidade administrativa, atendendo professores e outros funcionários. Cursei minha faculdade de pedagogia, pagando, sozinha, as mensalidades, e, graças à política de incentivo da Cooplem, também pude ajudar minha irmã a se manter na faculdade, durante o primeiro ano dela”, lembra Jaquelina.

“Aqui na cooperativa, pude realizar meu sonho que era me tornar professora. Talvez não conseguisse de outra forma. Sou muito grata ao cooperativismo, pois tenho a certeza de que, por meio dele, tenho condições de sonhar e trabalhar para realizar novos projetos, como uma pós-graduação, por exemplo”, conclui a colaboradora da Cooplem, a primeira cooperativa de idiomas do país e uma das maiores do mundo, administrada exclusivamente por professores.​​

TRABALHADOR

A história de Jaquelina ilustra bem a importância do cooperativismo na vida dos brasileiros, quando o país celebra o Dia do Trabalhador (1º de maio). Ela é uma das 376 mil colaboradoras que se dedicam, diariamente, a contribuir com a construção de um Brasil mais justo, equilibrado e com mais oportunidades para todos, porque sabe que cooperar vale a pena.

“O cooperativismo é um jeito humanizado de gerar negócio, trabalho e renda. É por isso que ele transforma realidades. Para se ter uma ideia, as nossas 6,6 mil cooperativas congregam 13,2 milhões de pessoas e geram quase 380 mil empregos diretos. E a única coisa que liga toda essa gente é confiança. Elas trabalham umas pelas outras, porque acreditam que, juntas, podem ir mais longe, diminuindo riscos e compartilhando os resultados”, explica Márcio Lopes de Freitas, presidente do Sistema OCB.​​

MAIOR CAPITAL

Ele reforça que o cooperativismo é o modelo econômico de milhões de pessoas, que valoriza cada rosto por traz de um produto ou serviço. “Gente é o maior capital de uma cooperativa. As pessoas são a razão de ser do nosso movimento, contribuindo, cada uma do seu jeito, com o desenvolvimento do nosso país. Aliás, não estamos sozinhos. Fazemos parte de um movimento global de geração de riquezas e valores. No mundo, já somos mais de um bilhão de cooperados e nossa relevância também se comprova pelo número de empregos que geramos em mais de 100 países: são mais de 250 milhões de postos de trabalho”, enfatiza Márcio Freitas.

Para a liderança cooperativista, o Dia do Trabalhador é uma data que merece comemoração. “A cooperação é o resultado da confiança mútua! E é essa confiança que nos faz, local e diariamente, por meio da nossa capacidade e força de trabalho, atuar em prol de um mundo melhor. Afinal de contas, o trabalho sério, honesto, comprometido é a única forma de garantir que cada brasileiro possa realizar seus sonhos. E o sonho de todos nós, cooperativistas, é o de construir um futuro onde todos tenham orgulho de fazer parte de uma sociedade mais justa e próspera”, conclui o presidente do Sistema OCB.​​

NÚMEROS NO BRASIL

O cooperativismo está mais presente na vida dos brasileiros do que muita gente possa imaginar. Veja:

– Cerca de metade de toda a produção agropecuária passa por uma cooperativa agro;

– As cooperativas de crédito formam a maior rede de atendimento financeiro e, em mais de 500 cidades, são a única instituição financeira presente;

– Mais de 22 milhões de brasileiros têm saúde garantida por meio de cooperativas médicas;

– Cerca de 330 milhões de toneladas de cargas circulam pelas estradas do país graças às cooperativas de transporte;

– Em grande parte da zona rural do país, internet e energia elétrica chegam aos lares e subsidiam o desenvolvimento da região, por meio de cooperativas de infraestrutura.​​​

DADOS GLOBAIS

Além da representatividade econômica no Brasil, o cooperativismo também é destaque em grandes economias mundiais. Confira:

– A maior rede bancária da França, o Credit Agricole, é uma cooperativa e detém 59 milhões de clientes e 24% do mercado francês.

– 92% de todo alimento produzido no Japão vem de um cooperado.

– A maior rede de supermercados de Israel é uma cooperativa.

– 80% de todos os fertilizantes produzidos na Índia vem de cooperativas.

– 95% da produção de leite do México é feita por cooperativas.

– 92% da exploração mineral na Bolívia é feita por cooperativas.

– 98% da produção de leite da Nova Zelândia é feita por cooperativas.

Fonte – OCB

Deixe uma resposta