Curso apresenta vantagens em consorciar o cultivo de macaxeira com fruteiras nativas da Amazônia

Notícias

Pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental ministram curso sobre as vantagens de cultivar macaxeira em consórcio com cupuaçu e outras frutas nativas no estado do Amazonas, nesta quinta-feira (06/06), no município de Rio Preto da Eva (AM). Voltado para produtores da comunidade São José, a capacitação inicia às 8 horas e será ministrado pelos pesquisadores Aparecida Claret de Souza e João Ferdinando Barreto. O curso é uma ação de projetos relacionados à cultura do cupuaçu, financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Segundo os pesquisadores, a macaxeira é uma das mais importantes fontes de carboidratos para a alimentação humana em países tropicais e subtropicais, e a associação com cultivos perenes pode ajudar a baratear os custos de implantação e estabelecimento de espécies de maior ciclo, quando ainda não há produção de frutas, por exemplo. De acordo com Aparecida Claret de Souza, o cultivo de fruteiras nativas consorciadas com culturas alimentares é ainda pouco explorada. “Normalmente, as plantas perenes não dão retorno econômico na fase de estabelecimento e têm, na fase inicial de crescimento, uma baixa eficiência no aproveitamento da energia solar, da água, dos nutrientes e do espaço”, ressaltou.

A prática deixa de ser importante quando o sombreamento imposto pelas culturas perenes prejudica o rendimento da macaxeira, fazendo com que a associação deixe de ser uma vantagem econômica. O objetivo geral do curso, além valorizar as fruteiras nativas, incentivando o seu plantio consorciado com culturas alimentares de ciclo curto, também capacitará os agricultores em práticas de manejo adequado da cultura da macaxeira, como preparo do solo, calagem e adubação, uso de cultivares recomendadas, seleção de manivas-semente, espaçamento, controle de invasoras, manejo de pragas e doenças, e colheita, visando ao desenvolvimento de uma agricultura sustentável.

 

Fonte – Embrapa

Foto – Divulgação