Idesam debateu desafios de negócios comunitários da região Amazônica

Notícias

Com o objetivo de promover o ecossistema de negócios sustentáveis no Brasil, cooperativas, associações de produtores e parceiros de diferentes Estados se reuniram em Manaus para trocar experiências e refletirem sobre os desafios dos negócios comunitários da Região Amazônica. Organizado pelo Instituto Conexões Sustentáveis, o Desafio Conexsus contou com apoio do Idesam, que apresentou ao público sua experiência no tema com o Café Apuí Agroflorestal.

Realizado na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), os participantes do Amazonas, Roraima e Pará tiveram a oportunidade de compartilhar ideias com outros atores dispostos a contribuir para o desenvolvimento de cooperativas e associações de produtores que atuam em cadeias produtivas de alimentação saudável e sustentável.

O analista de comunicação e representante do Café Apuí Agroflorestal pelo Idesam, Jônatas Machado, foi o responsável por mostrar aos participantes como lidar com os principais desafios da operação do produto na realidade amazônica. “Foi um espaço muito positivo para abordarmos a questão do comércio colaborativo e mostrar que é possível as empresas se ajudarem. Às vezes, fazemos produtos amazônicos voltados mais ao consumidor de fora, mas o evento pôde mostrar como as próprias organizações locais podem adquirir produtos uma das outras”, reforça o analista.

Machado destaca o aspecto dinâmico e participativo do evento como uma oportunidade de aprendizado, além de poder fazer outros contatos comerciais para levar o Café Apuí a outros mercados. “Existiu muito interesse de outras associações, mas ainda esbarramos na questão logística, que é um dos maiores entraves do comércio colaborativo no Amazonas”, completa Machado.

Em formato de oficina, 20 organizações, entre associações e cooperativas de produtores da agricultura familiar, extrativistas, povos indígenas, que trabalham com o uso sustentável dos recursos naturais, puderam trocar experiências e avançar em demandas importantes de suas atividades.

De acordo com a coordenadora do Desafio, Monika Röper, a região amazônica possui grande densidade de organizações formadas pelas comunidades e povos que vivem na floresta e que utilizam seus recursos de maneira sustentável, no entanto, em condições muito diferentes das encontradas no resto do País, principalmente no quesito logística.

“A Amazônia é gigante, com enormes distâncias, precisamos entender o que isso significa em questões de comercialização. Certamente em outras regiões do Brasil temos desafios nesse sentido, mas nada se compara ao universo amazônico. Por isso temos um olhar especial para a região e sabemos que precisa de soluções diferenciadas”, afirma Röper.

Apresentações sobre agrofloresta sustentável, extrativismo e sociobiodiversidade permearam a programação do Desafio Conexsus, que conseguiu abordar ainda a pesca artesanal, o manejo florestal comunitário, além do turismo de base comunitária.

Fonte – Idesam

Foto – Divulgação