Irrigação para agricultura familiar foi tema de curso em Urucará no AM

Notícias

A Embrapa Amazônia Ocidental realizou, na quinta-feira, 9 de maio o curso, “Irrigação para agricultura familiar”, no município de Urucará, com o objetivo de orientar agricultores familiares sobre noções básicas de irrigação para as principais culturas agrícolas desenvolvidas no município, sobretudo as culturas do guaraná, banana e melancia.

As atividades foram realizadas na Câmara Municipal da cidade, como parte do Acordo de Cooperação Técnica entre Embrapa Amazônia Ocidental e a Prefeitura, voltada para ações de transferência de tecnologia.

Por meio deste acordo, vêm sendo realizadas várias atividades no município para transferência de tecnologia e conhecimentos que apoiem a agricultura local. Entre as ações foi realizado diagnóstico de propriedades rurais, estão sendo realizados cursos de capacitações para agricultores e técnicos de extensão rural e também estão sendo implantadas Unidades de Referência Tecnológica (URTs), onde serão demonstradas na prática informações técnicas geradas pela pesquisa agropecuária e que permitem obter melhores resultados para o produtor.

As URTs priorizadas no município são para as culturas de guaraná, banana, mandioca, leguminosas, café e açaí, além de uma para compostagem. As URTs são utilizadas para a capacitação de técnicos e agricultores, visando formar multiplicadores para apoio nas ações de transferência de tecnologia.

O curso sobre Irrigação foi ministrado pelo pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Isaac Cohen Antônio, abordando questões aplicadas à realidade do município e considerando as condições climáticas locais, culturas de interesse dos agricultores e períodos em que há necessidade de irrigação, sistemas de irrigação mais recomendados, noções do dimensionamento e como manejar o sistema de irrigação na propriedade, entre outras informações.

Cohen explica que embora no Amazonas haja chuvas abundantes em quase todos os meses do ano, ocorrem períodos em que há períodos mais secos e acontece déficit hídrico da água armazenada no solo. Por exemplo, nos três meses de menor volume de chuvas, de julho a setembro, as chuvas podem ser escassas e/ou mal distribuídas.

Para não ficar sem produzir ou evitar perdas na produção nesses meses, é necessário o fornecimento de água para as plantas por meio da irrigação. O pesquisador cita que para cada cultura pode haver também o período mais adequado para irrigação, como por exemplo na cultura do guaraná, que tem a peculiaridade de precisar de irrigação na fase de implantação para o desenvolvimento vegetativo da planta ainda pequena, mas depois que a cultura está estabelecida não precisa mais irrigar.

Participam como parceiros em Urucará, além da Prefeitura, também a Câmara municipal, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e a cooperativa Agrofrut.

Fonte – Embrapa/Amazônia Ocidental

Edição – Coopnews

Foto – Divulgação