Mostra no Museu do Amanhã, no Rio, tem inovações de 40 artistas brasileiros

Os caminhos, muitas vezes tortuosos, que levam brasileiros à inovação poderão ser percorridos a partir de hoje (25) no espaço do Rio de Janeiro dedicado à ciência e ao futuro. De forma lúdica e com linguagem audiovisual e interativa, Inovanças – Criações à Brasileira, a nova exposição temporária do Museu do Amanhã proporciona ao visitante uma viagem pelo mundo das criações nacionais, apresentando grandes feitos e, em alguns casos, talentos poucos reconhecidos.

A mostra é a primeira de caráter temporário integralmente concebida pela equipe do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), que administra o Museu do Amanhã, e tem como curadores Luiz Alberto Oliveira e Leonardo Menezes.

Inspirada no cenário do filme Dogville, do cineasta dinamarquês Lars von Trier, o espaço, de 600 m², foi idealizado sem paredes, numa alusão à fluidez do processo criativo.

De acordo com o curador Leonardo Menezes, a ideia é mostrar que não há limites, nem barreiras ao conhecimento e à inventividade, além de apoiar ações que promovam a sustentabilidade e contribuam para a popularização e difusão da ciência e da tecnologia.

“Os processos naturais são fonte de inovação que inspiram os humanos a buscarem soluções de forma criativa. Desvios representam oportunidades na busca por soluções inéditas. Por tentativa e acerto, brasileiros e brasileiras criaram soluções que inovaram o país e o mundo”, disse ele, também gerente de Conteúdo, de Exposições e do Observatório do Amanhã do museu.

O visitante é apresentado a cerca de 40 inovações – do high ao low tech, com destaque para as tecnologias sociais – que transformam e beneficiam indivíduos e grupos em todas as regiões do Brasil e do exterior. As invenções são mostradas em vídeos, com declarações de seus criadores, e presencialmente, com a exposição dos objetos.

As criações estão distribuídas por sete áreas, que remetem a diferentes conceitos que caracterizam a inovação brasileira. Essas áreas receberam os nomes de Pyahu-Açu (“novidade grande”, em tupi-guarani), Inspirais, Errâncias, Brasilianxs, Inexspectata (“inesperado, em latim) Impromptu (“improviso”, em latim) e Awani Jö (“estamos juntos”, em iorubá).

A inspiração na natureza, a história do Brasil contada a partir da inovação, o “jeitinho brasileiro” utilizado de forma positiva na busca de soluções com profundo rigor técnico e a criatividade compartilhada entre profissionais heterogêneos são algumas das várias temáticas das sete áreas expositivas.

Imprevisto e improviso

“A inovação pode ocorrer no encontro entre imprevisto e improviso. A inovação é um contínuo de aprimoramento a partir de novas colaborações”, explicou Leonardo. Na exposição Inovanças, o Museu do Amanhã conta com a parceria da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública federal de fomento à ciência, tecnologia e inovação.

“A parceria vem coroar um instante histórico em que arte, cultura e inovação se unem para construir o Brasil sonhado por todos os brasileiros. Esperamos que os cases da exposição possam inspirar os inovadores de amanhã”, destacou o presidente da Finep, Marcos Cintra.

Inovanças – A exposição Criações à Brasileira fica em cartaz até 22 de outubro e pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 10h às 18h. O ingresso para a mostra temporária está incluído no valor da entrada para o museu, que custa R$ 20, a inteira, e R$ 10, a meia. O Museu do Amanhã fica na Praça Mauá, 1, no centro do Rio.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *