No Amazonas – Idam atua na expansão do mercado avícola

Notícias

O Governo do Estado vem trabalhando para aumentar a produtividade e produção de ovos e frango no interior do Amazonas. Em dez anos, a produção de avicultura de postura no Amazonas cresceu 137%, segundo dados do Censo Agropecuário de 2016/2017. Esse dado reflete diretamente na produção de ovos regionais.

“Em 2019, a estimativa é de que os números sejam ampliados atingindo 444 granjas com plantel de 2,479 milhões de aves e a produção de 1,267 milhão de caixas de ovos, sendo que cada caixa tem 360 ovos”, detalha o engenheiro agrônomo e gerente de Apoio à Produção Animal do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Sebastião Dias de Mendonça.

A principal característica do produto regional é que se trata de um ovo fresco, pois chega à mesa do consumidor em apenas um dia, ou seja, o ovo é colhido, classificado e inspecionado pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e, no dia seguinte, já está disponível nos supermercados e feiras.

O Selo de Inspeção Estadual (SIE) concedido pela Adaf, com validade do produto de 20 dias, dá ainda mais segurança alimentar ao consumidor do produto regional.

Parque Avícola – Visando aumentar a produtividade e produção de ovos e frango no interior, no último dia 12 de março, o governador do Amazonas, Wilson Lima, participou da reinauguração do Parque Avícola no município de Maués. Administrado pela Prefeitura de Maués, o parque tem como objetivo a produção de pintos de um dia (pintinhos) para fornecer aos produtores da agricultura familiar.

O secretário de produção de Maués, Luiz Canindé, explicou que o Parque Avícola é uma parte do complexo produtivo da Sepror no município e tem uma estrutura que consegue fechar a cadeia produtiva de aves.

Há cerca de um mês os equipamentos – incubadora e nascedouro – foram instalados com auxílio do técnico do Idam, Aglei Maciel, e a prefeitura municipal adquiriu 11 mil ovos férteis de incubatório localizado em Itatiba (SP) para dar andamento ao projeto.

O local tem capacidade para produzir cinco mil pintos de um dia por mês. Na unidade, os ovos ficam 18 dias (ou 446 horas) na incubadora, em seguida, passam cerca de três dias (entre 48 horas e 72 horas) no nascedouro.

A prefeitura municipal implantará um matrizeiro onde serão manejados um plantel de 400 aves matrizes composta de frangas e galos, para produção de ovos férteis (fecundados).

Canindé completa que parte dos pintos será destinada ao matrizeiro e outra será doada a agricultores familiares do município. No final deste mês, por exemplo, serão distribuídos 3 mil pintos a 80 famílias. O mesmo deve se repetir em abril e maio, a expectativa é que sejam distribuídos de 7,5 mil a 8 mil pintos.

A meta é que com a reativação do Parque Avícola haja geração de renda e segurança alimentar através da proteína animal – carne e ovos.

Capacitação – Em Maués, o especialista do Idam ministrou capacitação para os funcionários do Parque Avícola sobre montagem de maquinário, seleção de ovos, sexagem de pinto, vacinação e manejo.

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação