No Pará – Sedap fomenta a produção de banana nas regiões metropolitana e nordeste

Notícias

O Governo do Pará vai entregar 40 mil mudas de bananeira da cultivar BRS Pacoua para 122 pequenos produtores das regiões metropolitana e nordeste paraense selecionados dentro do programa Pará Produtivo, criado este ano pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) para transferir tecnologia para a agricultura familiar a fim de tornar o Estado, em médio prazo, autossuficiente na produção de frutas e verduras para atender o mercado da capital. As mudas serão distribuídas na segunda-feira (4) no escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Santa Izabel.

A cultivar BRS Pacoua é uma banana do tipo prata desenvolvida pela Embrapa. “Essa cultivar possui alta produtividade e resistência às principais doenças que atingem a banana. As mudas que estão sendo distribuídas aos produtores foram produzidas em laboratório, o que significa que elas estão totalmente isentas de contaminação por doenças”, explica o gerente de Fruticultura da Sedap, Geraldo Tavares.

Em 2016, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Pará foi responsável por uma produção superior a 504 mil toneladas de frutos, com uma área plantada de 56.072 hectares e ocupando a quinta colocação no ranking nacional. Mais de 70% da produção de banana do Pará está concentrada nas regiões sudoeste e sudeste do Estado. Nessas regiões, a bananeira é plantada, principalmente, de forma consorciada com a cacauicultura, oferecendo sombreamento provisório para os pés de cacau.

Só este ano, o Governo do Pará, por meio da Sedap, distribuiu 200 mil mudas de bananeira para famílias de agricultores nas principais regiões produtoras e parte significativa deste total foi utilizada para plantio consorciado com cacau. A distância destes mercados produtores faz com que a maior parte desta produção não chegue ao mercado da capital, que é abastecido maciçamente pelos estados do nordeste brasileiro.

Em 2016 foram comercializados na Ceasa de Belém um volume de 38.084 toneladas de banana. Deste total, 90,75% do volume comercializado veio de outros estados. Entre os principais fornecedores estão Ceará, Bahia, Pernambuco e Maranhão, deixando de gerar ocupação e renda para os pequenos produtores do Pará. Para ter uma dimensão do mercado potencial que pode ser abarcado pelas famílias de agricultores paraenses, em 2016 apenas a banana prata vendida na Ceasa gerou uma movimentação financeira de R$ 79,3 milhões.

Com o programa Pará Produtivo, a meta da Sedap é estimular a formação de polos de fruticultura e produção de hortaliças nos municípios das regiões metropolitana e nordeste, criando um verdadeiro “Cinturão Verde” para abastecer a demanda da capital, o principal mercado consumidor do estado e aumentar a renda dos produtores locais.

No caso da banana, a meta do programa para ser atingida até o final do próximo ano é aumentar a produtividade média dos plantios para 22 toneladas por hectare, o que significa aumentar a oferta de banana de origem paraense para pouco mais de seis mil toneladas anuais o correspondente a 20% do total comercializado na Ceasa.

O Pará Produtivo conta com a parceria da Emater, os produtores que vão receber as mudas no começo de dezembro receberão acompanhamento constante de extensionistas rurais e, no próximo ano, vão passar por cursos de capacitação. Além disso, estão sendo implantadas duas unidades demonstrativas, uma em Santa Izabel e outra em Castanhal, em áreas de agricultores familiares que vão servir para a realização de dias de campo.

 

Fonte – Agência Pará

Deixe uma resposta