Para 2018 o lucro das Feiras das ADS deve chegar a R$ 25 milhões

Notícias

O programa de feiras da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), deve gerar R$ 25 milhões de lucro aos produtores rurais em 2018, R$ 6 milhões a mais do que o ano passado. A expectativa de crescimento vem em razão da boa resposta que o programa tem dado nos últimos seis meses.

Atualmente, são 1.155 famílias beneficiadas no estado, em 14 feiras espalhadas pelo interior e 11 na capital. Somente nos três primeiros meses deste ano, três novas inauguraram em Manaus. Há quatro pedidos de centros de compras interessados em contar com as feiras da ADS em seus empreendimentos, sob análise. O faturamento de todas as feiras, por edição, está na casa dos R$ 785 mil, com um volume comercializado de 341.217,20 kg.

De acordo com o gerente do Departamento Agropecuário e Pesqueiro da ADS, Heitor Liberato, o modelo de parceria público-privado tem dado bastante certo, principalmente nas feiras instaladas nos centros de compras, o que tem atraído um grande público de consumidores e gerado lucro aos estabelecimentos. Hoje, as feiras estão funcionando em quatro grandes shoppings da capital: Ponta Negra, Sumaúma, Via Norte e Grande Circular.

“Mesmo com a crise, a gente não deixa de se alimentar. Mas a gente passa a se alimentar de forma mais barata. E como a gente compra mais barato? Comprando do produtor rural. A partir de todo esse cenário de mercado, esses espaços começaram a se abrir para os produtores, e a ADS é procurada para implantar as feiras. Nós tínhamos muitas parcerias institucionais, agora temos parcerias público-privadas, como nos shoppings”, explica Heitor Liberato.

Faturamento – Ele explica que o faturamento das Feiras da ADS aumentou significativamente. “Nós saímos de um ano para o outro de um faturamento de R$ 9 milhões, em 2016, para R$ 19 milhões, em 2017. A expectativa é chegar a R$ 25 milhões neste ano. Isso é renda gerada, não foi um recurso que foi aplicado para o produtor rural. Isso aí é o que o produtor está comercializando diretamente para o consumidor. Isso mostra que o Amazonas tem produção, de qualidade, basta você saber trabalhar o produtor”, destaca o gerente da ADS.

Interior – Os municípios do interior que contam com Feiras da ADS são Rio Preto da Eva, Boa Vista do Ramos, Parintins, Silves, Novo Airão, Beruri, Manacapuru, Careiro Castanho, Lábrea, Tefé, Novo Aripuanã, Tonantins, Tabatinga e Humaitá.

De acordo com o novo presidente da ADS, o engenheiro ambiental Túlio Cáceres Kniphoff, um acordo com o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), no valor de R$ 1,5 milhão, será firmado, em breve, o que permitirá a distribuição de kits de feiras para mais produtores, tanto na capital quanto no interior do estado, ampliando o alcance do programa.

Lucro – O agricultor familiar Pedro Souza, de 54 anos, do Município de Rio Preto da Eva, comercializa seus produtos em duas Feiras da ADS, uma no próprio município, aos sábados, e outra montada todas as terças-feiras em um shopping da zona norte da cidade. Com um faturamento médio de R$ 2 mil por semana, Pedro conta que a maior conquista dos negócios é poder pagar as faculdades dos filhos, que ao lado da mãe, também ajudam na comercialização do que eles produzem.

“As vantagens que temos de trabalhar numa Feira da ADS é que os produtos que trazemos da propriedade, a gente vende diretamente para o consumidor. A gente tem a clientela certa da gente, já traz os produtos certos. Com isso, a gente saiu das mãos dos atravessadores. Antes, a gente produzia, mas ficava amarrado ali na mão do atravessador, não tinha praticamente como a gente ganhar. Hoje é diferente. A gente consegue manter os filhos da gente estudando e isso é muito gratificante”, afirma Pedro Souza.

Fonte – Secom

Deixe uma resposta