Pesca, agroecologia e produção orgânica estão entre as cadeias prioritárias que irão fortalecer o setor primário em Iranduba

Notícias

Projetos para pesca, agroecologia e produção orgânica foram apresentados na manhã desta terça-feira (24/09), pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), durante o lançamento dos Projetos Prioritários incentivados pelo Governo do Amazonas em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). O evento aconteceu na sede da Colônia dos Pescadores AM/8, localizada na rua Iporá, Centro.

Para Iranduba, o Idam selecionou seis cadeias produtivas voltadas às atividades de pesca, piscicultura, bovinocultura, agroecologia e cultivos de banana e citrus. Ao todo, o projeto global inclui 21 cadeias produtivas que irão beneficiar mais de 30 mil agricultores familiares e produtores rurais em todos os municípios do estado.

De acordo com a diretora-presidente do Idam, Eda Oliva, o Idam estabeleceu critérios de produção e produtividade, condições de mercado e geração de renda para as famílias rurais. “No decorrer dos trabalhos e à medida que tivermos um número maior de técnicos iremos incorporar outras cadeias produtivas. No entanto, continuaremos atendendo outras atividades que não estão contempladas no projeto”, explicou.

Para o prefeito de Iranduba, Francisco Gomes, é importante unir forças para desenvolver a economia do município. “Precisamos de apoio na aquisição de transporte, máquinas e implementos agrícolas para fomentar as atividades rurais, seja no escoamento dos alimentos ou no processo de produção”, ressaltou.

Estiveram presentes no evento o diretor técnico do Idam, José Milton Barbosa, o gerente do Idam em Iranduba, Jean Magalhães, os técnicos locais e coordenadores dos Projetos Prioritários, o vice-prefeito e secretário de produção do município, Eduardo Cavalcante, o secretário municipal de Meio Ambiente, Alexandre Antony, a presidente da Associação de Pescadores de Iranduba, Leide dos Santos e demais lideranças de agricultores.

Projetos – Para a atividade de pesca, a área de atuação do projeto, além de Iranduba, envolve outros 26 municípios. A meta é aumentar a produção do pescado que hoje gira em torno de 23,2 mil toneladas para 46,5 mil toneladas até 2022.

Na agroecologia, o Idam pretende ampliar os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) visando o aumento e diversificação de frutíferas e olerícolas.

Para o agricultor de produtos orgânicos, Joed Melo, de 35 anos, do ramal do Pupunhal, km 6, a produção orgânica é a forma mais justa entre a relação mercado e consumidor. “A agroecologia nos faz perceber o processo natural no cultivo dos alimentos e entender que precisamos respeitar a natureza e produzir com responsabilidade”, destacou o agricultor, que trabalha com o cultivo de hortaliças, frutas e Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs) há mais de cinco anos.

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta