Pesquisa mostra que pequenos negócios querem energia limpa e barata

Notícias

Os pequenos negócios no país estão se voltando para a adoção de práticas mais sustentáveis e econômicas, como a geração de energia limpa, por meio do sistema fotovoltaico. É o que mostrou uma pesquisa feita pelo Sebrae de Mato Grosso, mostrada nesta quarta-feira (28) pela gerente do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), Suênia Souza, durante apresentação, em Cuiabá, para o presidente da instituição, Carlos Melles, e para o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa. O estudo apontou que, dos mais de três mil empresários que possuem esse tipo de fonte energética, 83,9% reduziram os gastos com a conta de luz. Durante o evento, foi assinado um termo de cooperação entre o Sebrae e o Sicredi para estimular projetos de energia solar nas micro e pequenas empresas.

Conforme a pesquisa, mais da metade (60%) dos empresários entrevistados pretendem investir mais em outras fontes renováveis, sendo que, desses, 47,5% devem apostar em fonte solar fotovoltaica. Porém, segundo Suênia, apenas 0,1% dos pequenos negócios utilizam a energia por meio desse sistema. “Temos uma nova economia se formando no país, com a economia do compartilhamento e os negócios digitais, e a inovação nos processos deve priorizar a preocupação com a preservação de recursos hídricos e energéticos. O nome disso é competitividade”, afirmou a gerente, durante a apresentação dos eixos de atuação do CSS na produção de 655 conteúdos focados na sustentabilidade de pequenos negócios.

O secretário do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, ressaltou que as micro e pequenas empresas serão a base da transformação do país, ajudando a destravar o ambiente de negócios. Segundo ele, o modelo adotado no Brasil, onde o governo está à frente do empresário, não deu certo, assim como aconteceu em outros países. “Esse modelo acabou, agora será baseado no empreendedorismo para tirarmos de uma situação, que é o desemprego”, afirmou. O secretário lembrou que existem alguns pilares que podem alavancar as MPE, que são a sustentabilidade, a produtividade e o marketing. “Todos os casos apresentados, caso sejam incorporados pelas MPE, o impacto será extraordinário”, disse Carlos Da Costa, se referindo aos conteúdos desenvolvidos pelo CSS e mostrados no evento.

Parceria

O termo de cooperação para o Programa de Energia Solar Fotovoltaica para Pequenos Negócios foi assinado nesta quarta-feira (28.08), mas seu lançamento oficial acontece no 18 de setembro. Ele prevê consultoria e linha de crédito especial para projetos de micro e pequenas empresas e visa estimular a geração própria de energia e tornar os pequenos negócios e produtores rurais mato-grossenses mais competitivos de forma sustentável. “Um dos nossos maiores aliados é o sistema de cooperativismo”, afirmou o superintendente do Sebrae no estado, José Guilherme Barbosa Ribeiro. “Por isso, estamos fazendo essa parceria”, completou. “Vamos investir US$ 100 milhões em Mato Grosso”, observou o presidente da Sicredi Centro Norte, João Spenthof.

Fonte – Sebrae

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta