Sebrae defende cooperativas como alternativa de crédito mais barato

Notícias

O cooperativismo é hoje uma das mais importantes fontes de crédito não apenas no Brasil, mas também no exterior, como nos Estados Unidos, onde o sistema é forte. A afirmação é do gerente da Unidade de Serviços Financeiros do Sebrae, Alexandre Comin, durante painel do seminário “Cooperativas de Crédito: uma alternativa de financiamento para o seu negócio”, realizado na quarta-feira (26), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo.

De acordo com Comin, existem 2,6 milhões de cooperativas do tipo em todo o mundo, com cerca de um bilhão de associados e a geração de mais de 12 milhões de empregos diretos. “É uma presença social e econômica grande”, ressaltou o gerente do Sebrae, observando que nos Estados Unidos, mais da metade da população adulta tem algum vínculo com esse tipo de negócio. O panorama não é diferente no Brasil, segundo ele, onde a presença do cooperativismo de crédito também está se fortalecendo.

“Apesar da crise, o cooperativismo de crédito vem crescendo no Brasil porque a população confia nesse sistema”, explicou o especialista. “Esse tipo de negócio faz papel oposto aos bancos, pois emprestam, mas não aumentam as taxas de juros, como o sistema financeiro tradicional”, observou o gerente do Sebrae. Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que existem hoje no Brasil mais de 960 cooperativas de crédito, com 5,8 mil pontos de atendimento e 9,5 milhões de associados.

O gerente da Unidade de Serviços Financeiros do Sebrae ressaltou, durante sua apresentação na Fiesp, que é preciso estabelecer uma pauta estratégica com as cooperativas de crédito, que respondem por 5,8% dos depósitos do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Hoje, o Sebrae defende não apenas o sistema como alternativa de crédito mais barato para os pequenos negócios, mas também outras fontes, como as fintechs.

Fonte – Sebrae

Foto – Divugação