Sem realizar o pagamento da safra a três anos governo quita dívida com plantadores de juta e seringueiros

Notícias

O Governo do Amazonas, efetuou pagamentos destinados a quitar dívidas com juticultores, da safra de 2014/2015 e realizou ainda pagamentos a extrativistas que trabalham na produção de borracha e que não recebiam o pagamento das safras de 2016/2017. A dívida atingia 2.289 pequenos produtores.

Os pagamentos totalizaram R$ 711.844,64 para 221 juticultores que produziram 1,8 milhões de quilos de fibra (juta e malva). Esses produtores estão localizados nos municípios de Codajás, Coari, Manacapuru e Anamã. Mais de 60 mil famílias, conforme atestam pesquisas realizadas nesse setor, chegaram a viver dessa atividade nos estados do Amazonas e do Pará. O auge da produção ocorreu em 1960.

Em relação aos pagamentos destinados aos 2.068 extrativistas, foi destinado R$ 621.180,00 que foram distribuídos entre produtores que desenvolvem a atividade em 11 municípios. A chamada fase Áurea da Borracha aconteceu de 1879 a 1912. Depois teve uma sobrevida de 1942 a 1945. Representou o maior impulso de desenvolvimento na Região Norte, especialmente no Amazonas.

Dinheiro no interior – Além do pagamento de produtores de borracha e de juta e malva, o que representa de forma concreta levar recursos financeiros ao interior do estado, houve ainda o investimento de R$ 5 milhões na compra de sementes.

Os investimentos contemplaram em outra linha, a qualificação de mão de obra, que chegou a 1.922 comunidades rurais, totalizando 1.089 produtores capacitados com cursos de diversas culturas, entre as quais, práticas no cultivo de banana, açaí, castanha, mandioca e outras. Essas ações são fundamentais para que a produção do interior cresça e chegue ao mercado consumidor em condições de concorrer com outros produtos.

Fonte – Secom/Am

Foto – Divulgação