Sepror vai auxiliar agricultores na comercialização de produtos regionais para as Forças Armadas

Notícias

Em reunião na manhã da terça-feira (19/03), na 12ª Região Militar da Amazônia, militares anunciaram para Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) que pretendem aumentar o percentual de compra de alimentos provindos da agricultura familiar, como determina o decreto 8.473/2015. A lei prevê a compra mínima de 30% de produtos alimentícios oriundos de produtores rurais da região por entidades e órgãos federais, mas eles pretendem chegar a 50%.
Segundo informações amplamente divulgadas pelo general César Augusto Nardi, titular do Comando Militar da Amazônia (CMA), a expectativa é de que o Exército compre R$ 18 milhões em produtos da agricultura familiar, com o objetivo de atingir a meta estabelecida pelo decreto.

E para ser uma ponte entre os militares e os agricultores do Amazonas, assessores técnicos do Sistema Sepror estão engajados em facilitar o contato entre produtores, associações, cooperativas e os militares, e, desta forma, possibilitar o aumento da produção e da renda de agricultores familiares. “Como estamos mais próximos aos produtores rurais, nossa ideia é fazer esse intermédio entre vocês e o produtor,” afirmou Thomaz Peres, assessor técnico da Sepror.

O major Marcelo Alves, chefe da Seção de Licitação da 12ª Região Militar, foi receptivo com a iniciativa da Secretaria. Segundo ele, o setor é responsável pela compra de alimentos para o cardápio dos militares de toda a Amazônia Ocidental. E confirmou que ainda não atingiram o percentual mínimo de compras da agricultura familiar, mas que a intenção é que este número cresça a cada ano. “Estamos com uma Chamada Pública para itens frigorificados e não perecíveis, no valor de R$ 17 milhões. Desses itens, apenas os peixes e a farinha são oferecidos pela agricultura familiar local”, afirmou o major.

Mas eles já estão preparando uma segunda Chamada Pública para os itens que chamam de QR (qualitativo de rancho), que são hortaliças, frutas e farinhas. “Estes sim, são facilmente encontrados com produtores regionais e nesta chamada pretendemos gastar mais de R$ 10 milhões com o segmento”, confirmou ele.

O major agradeceu o apoio da Sepror, que se prontificou a elaborar uma lista, em parceria com a Organização das Cooperativas do Brasil no Amazonas (OCB/AM). “Vamos enviar para vocês uma lista com produtores e entidades cadastradas em nossos bancos de dados, além dos produtos que podem ser agregados à Chamada Pública do Exército e, quem sabe, aumentar a variedade de itens”, afirmou Thomaz Peres.

Aeronáutica – A Força Aérea também foi visitada na semana passada. Representantes do Sistema Sepror, da OCB-AM e da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetagri) estiveram reunidos com militares da Aeronáutica, que anunciaram a intenção de aumentar para R$ 18 milhões o volume de compras de alimentos oriundos da agricultura familiar.

OCB e Sepror se prontificaram a encaminhar para o GAP uma lista com cooperativas e entidades que fornecem produtos regionais para que eles também tenham acesso a maior diversidade de produtos. Além disso, o Sistema Sepror vai ajudar a divulgar para os produtores a próxima Chamada Pública da Aeronáutica, prevista para acontecer em 15 dias.

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação